IMAGINE. LEIA. NAVEGUE.

domingo, 26 de novembro de 2017

One Thing

Resultado de imagem para louis tomlinson photoshoots

O luau de aniversário da namorada do Liam, Cheryl, estava muito agradável. Havia algumas cangas na areia em formato de roda, onde as pessoas se sentavam e curtiam uma boa música acústica que o Niall e Harry estavam proporcionando para os convidados. Outras jogavam vôlei ou um futebol de areia um pouco mais distante, e eu e algumas outras pessoas estávamos perto da mesa das comidas, bebendo uma cerveja gelada e curtindo a brisa da praia. 
Estava tudo certo, até que eu a vi e parei de respirar sem nem mesmo perceber. Eu havia me esquecido completamente que Cheryl era amiga da S/n, a menina que eu sentia uma paixão meio que platônica, já que nós não éramos nem um pouco chegados e apenas nos víamos em festas de amigos em comum, como hoje. Como sempre, ela estava linda, com um short jeans branco e uma blusa tomara que caia florida. Tinha uma coroa de flores em volta de sua cabeça, assim como todas as outras convidadas, mas ela.... Ela é diferente. 
Estava segurando um copo de bebida, provavelmente suco de laranja, enquanto ria com suas amigas e sorria para alguma selfie que alguém pedia para tirar vez ou outra. O sorriso sempre estampado no rosto... Ah, aquele sorriso! 
Me sinto um adolescente apaixonado perto dessa garota. Porém, eu sabia que nunca teria chance, ela é muito areia para o meu caminhão, então eu tentava me conformar em apenas stalkear seu Instagram toda vez que ela aparecia na minha timeline, e conversar com ela superficialmente quando dificilmente estávamos no mesmo lugar.

-Sai de perto da mesa da comida, Tomlinson! -o primo de Liam exclamou, me fazendo tirar os olhos da mulher que era para ser a mãe dos meus filhos e olhar em sua direção, rindo baixo pelo seu pedido.
-Dá não, cara, você sabe que eu não resisto a uns bons quitutes -ele riu com minha resposta, e saiu em direção a roda onde Harry cantava e Niall tocava violão.

Beberiquei minha cerveja e coloquei a mão livre no bolso do meu short, voltando a direcionar meu olhar a mulher incrível... S/n tem uma coisa. Não sei explicar, mas sei que ela tem algo. Talvez seja seu jeito de tratar as pessoas, seus sorrisos carinhosos, o modo como ela fala ou como ela abraça. Puts, que mulherão. Meu sonho de consumo. Meu maior desejo -e talvez o mais inalcançável. A vida é triste, meus amigos.

Percebi que a galera parou de cantar e vi que estavam começando uma brincadeira que Cheryl pediu. Aparentemente, a brincadeira era em dupla e o par tinha que espremer um coco seco entre suas barrigas. O objetivo é fazer esse coco chegar na boca dos dois participantes sem encostar com a mão. Igualmente a cena do filme Esposa de Mentirinha, pelo visto.

-O Louis ainda não tem dupla -Cheryl disse para s/n e apontando em minha direção. Ela fez um gesto com a mão pedindo para que eu me aproximasse das duas. Fiquei sem acreditar. Eu não estava planejando participar da brincadeira, mas já que a aniversariante me arrumou a menina mais bonita da festa como dupla, eu não sou nem louco de negar.
-Oi, Louis -S/n sorriu para mim- Já faz um tempo que não te vejo.
-Pois é, S/n... Desde a festa da Maggie, acho -eu tinha certeza- como vai? -perguntei sorrindo.
-Tudo ok... Parece que somos uma dupla agora -ela riu.
-Sim -Cheryl interrompeu nosso diálogo- Parece que vocês tem uma brincadeira para vencer.
-Let's do it! -falei brincalhão, ouvindo a risada maravilhosa dela. Música para os meus ouvidos.

Nos posicionaram um de frente para o outro e colocaram o coco em nossas barrigas, deixando claro que nossas mãos deveriam ficar para trás. Enquanto todas as duplas se ajeitavam, eu tentava não ficar olhando para ela feito um psicopata, então comentei a primeira coisa que veio na minha cabeça:

-Será que sou habilidoso o suficiente para fazer isso? -ri brevemente.
-Será que nós dois somos? -perguntou, divertida.
-Bom, estamos prestes a descobrir.

Alguém gritou "valendo" e então todas as duplas participantes entraram em ação. S/n abaixou um pouco o seu corpo e eu, automaticamente tive que levantar o meu, fazendo o coco subir e descer. Meu Deus, ela estava esfregando o corpo dela em mim. Eu não ia aguentar.
Eu. Vou. Morrer.
Duas duplas deixaram os cocos caírem ao mesmo tempo, fazendo a galera que só estava assistindo murmurar um "ahhhh" desanimado. Ainda restavam três duplas, então as sarradas continuaram.

-Bom, essa droga ta quase chegando nos meus peitos, daí acho que será mais fácil -S/n comentou, subindo e descendo aquele corpo delicioso dela, sem tirar os olhos da maldita fruta.
-Estamos nos saindo bem -disse simplesmente, tentando fazer o coco chegar aos peitos dela 

HAHA...Tentando fazer o coco chegar nos peitos da mulher mais linda do mundo, que estava a centímetros de distância de mim, esfregando o corpo dela inteiro no meu. Por favor, alguém chame uma ambulância quando essa competição acabar.
A fruta ficou entre os peitos de s/n e então ela deu um gritinho de satisfação, me fazendo rir. Fomos subindo a fruta pouco a pouco, até ela chegar na garganta da minha companheira, fazendo-me sentir ainda mais o seu perfume ridiculamente viciante (e torcer para que meu pau não estivesse completamente duro no final, o que é difícil de acontecer).

Mais um casal perdeu, restando apenas nós e outra dupla.

o coco estava na minha garganta e eu tive vontade de gargalhar, mas não quis arriscar a queda de uma fruta tão importante no momento. S/n conseguiu colocá-lo na minha boca com o seu pescoço, e então só precisou descer o rosto um pouquinho para que nós dois estivéssemos com as bocas encostadas na fruta.
Enquanto a galera gritava, comemorando nossa vitória, nós trocamos um olhar profundo, e eu nunca odiei tanto a merda de um coco. Estava no meio do meu caminho até a boca dela. Por que cocos existem? Quem precisa de coco?
S/n segurou a fruta, fazendo-nos desencostar a boca do mesmo, e abriu um sorriso gigante para mim. Levou seus braços até meu pescoço e me abraçou forte. Eu rapidamente envolvi sua cintura e também a apertei fortemente.

-Conseguimos! -disse.
-É, parece que sim -eu ri.
-Eu sabia que vocês ganhariam! -Cheryl chegou, e ela se soltou de mim (triste). A aniversariante nos abraçou- o prêmio vai ser uma coisa de casal, mas como os dois são solteiros, não tem problema, não é?
-Por mim, tudo bem -afirmei, tentando não parecer tão ansioso, mas por dentro eu estava urrando de felicidade.
-Por mim também -ela deu de ombros.
-Ótimo! -Cheryl disse, alegre e levantando dois papeis pequenos retangulares, que eu não tinha percebido que estavam em suas mãos- este é o prêmio! Duas reservas pro Signor Sassi.
-Uau! -S/n e eu dissemos juntos.
-Esse restaurante é incrível -ela comentou.
-Liam me ajudou a escolher, ele tem bom gosto, tenho que admitir -Cheryl disse, fazendo-nos rir- Bom, é para amanhã, espero que vocês estejam disponíveis.
-Eu tô -afirmei.
-Amanhã a noite eu tenho faculdade, saio 20h, mas acho que dá tempo, certo?
-Sim -respondi rapidamente- se você quiser, posso te buscar.
-Seria melhor -ela respondeu- desde que não tenha problema para você.
-Não tem! 
-Yay! -Cheryl soltou um gritinho feliz e nós rimos.

Após o luau, eu entrei no meu carro para ir embora com o número de celular de S/n, o endereço de sua faculdade e uma ansiedade ridícula crescendo em mim conforme as horas passavam.

No dia seguinte...

Quando o relógio marcou 19:30 eu já estava pronto e encarando meu reflexo no espelho. Eu quase nunca reparava no meu visual, mas hoje é uma noite especial com uma mulher especial, então eu tentei caprichar um pouco mais, porém sem exagero. Vesti uma calça jeans escura, um tênis da Adidas que havia ganhado deles pelo patrocínio e uma camisa polo de manga longa na cor azul marinho. Passei meu perfume, torcendo para que ela gostasse dele da mesma forma que eu gostei do seu, e deixei meu cabelo um pouco desgrenhado. Saí de casa com meu celular, carteira e chave do carro.
Assim que cheguei na faculdade de s/n, mandei uma mensagem para ela avisando, e logo depois ela apareceu na entrada da faculdade, descendo as escadas e olhando para todos os lados, com seu celular em mãos. Sorri, ainda dentro do carro, sem acreditar que ela procurava por mim. Eu sou muito sortudo, que isso!
Saí do carro e acenei brevemente com a mão, até seus olhos me encontrarem. Ela sorriu e desceu as escadas mais rápido, não demorando a chegar em minha direção com um sorriso no rosto. S/n me abraçou e depois disse:

-Não é justo você estar todo bonitão, enquanto eu estou desse jeito! -ela aprontou para si. S/n usava uma calça jeans clara, um tênis vans nos pés e uma blusa que deixava seus ombros a mostra na cor preta, além de ter uma bolsa preta que provavelmente estava com seus livros. Revirei os olhos, não acreditando em seu comentário.
-Você só pode estar brincando... Você tá ótima, s/n, relaxa! -afirmei.
-Não estou muito convencida, mas tudo bem -ela cerrou os olhos para mim, mostrando seus dentes em um sorriso logo depois. Linda demais, eu não aguento!

Entramos no carro e seguimos em direção ao famoso restaurante cinco estrelas de comida italiana. Perguntei como tinha sido seu dia e ela contou, assim como eu compartilhei como havia sido o meu. Era uma conversa super normal e agradável, mas eu estava transbordando de felicidade por s/n, a mulher dos meus sonhos, estar dentro do meu carro.

Ao sentarmos na mesa reservada para nós dois, o garçom já veio até nós com o menu em mãos. Demos uma checada nas opções e pedimos macarrões com diferentes tipos de molhos e até a comida chegar, bebericamos um vinho branco maravilhoso.

-Meu Deus, estou no céu? -ela perguntou, após provar sua comida- se esse macarrão fosse uma pessoa, eu me casaria com ele -eu gargalhei.
-Quem diria que estaríamos aqui por causa de um coco seco, né? -comentei e ela riu com vontade, e eu fiquei feliz por tê-la feito rir.
-É mesmo -concordou- quem diria que estaríamos jantando juntos, não é mesmo?
-Na verdade, eu diria, mas sempre fui muito desacreditado de que você sairia comigo -admiti, vendo ela fazer uma cara de surpresa com minha confissão.
-Louis, você nunca me perguntou, e a gente sempre se via em festas! -disse, inconformada.
-Eu sempre achei, e ainda acho, que você é muito areia para o meu caminhão -ela riu de novo.
-Que bobeira.
-Talvez seja, mas é o que eu acho -dei de ombros, sorrindo.
-Meu Deus, por que você acha isso? -quis saber, ainda não acreditando em minhas palavras. Ela até largou seu garfo para prestar mais atenção em mim.
-Sei lá, você é muito bonita, simpática, inteligente... 
-Lou, você é tudo isso também... -ela disse de uma forma extremamente fofa, e eu automaticamente fiquei com uma vontade enorme de jogar a mesa que nos separava para o lado e beijar ela até eu ficar sem boca.
-Não como você é, não no mesmo nível... -disse, e ela revirou os olhos sorrindo.
-Bom, para provar que você está errado, acho que deve me convidar para sair outras vezes.
-Vai ser um prazer -abri um sorriso enorme- eu sairia com você todos os dias da semana se você quisesse.
-Uau! -exclamou, sorrindo abertamente- assim você me deixa sem graça, Tomlinson.

Eu estava a alguns passos de tirar a s/n apenas dos meus sonhos e colocá-la na minha realidade, na minha vida real. Meu coração estava pulando de alegria devido a isso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário