IMAGINE. LEIA. NAVEGUE.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Me X Soccer

Link permanente da imagem incorporada
essa foto sim pq eu to apaixonada, bjs hahaha


Se passaram 10 minutos e eu continuei esperando, devidamente sentada e paciente. O relógio marcava 18:10, o céu estava começando a escurecer e as pessoas saíam e entravam da Bake-a-boo, uma lojinha de cupcakes extremamente fofa com doces e sobremesas saborosas.
Suspirei, olhando a rua através da janela de vidro, esperando que Niall estivesse virando a esquina. Mas ele não estava... Bom, ele deve estar se arrumando, certo? Ele sempre demorou alguns minutos a mais que eu porque nunca consegue decidir como o cabelo realmente fica bom. Ou ele pode estar a caminho e o trânsito está grande. Ou ele pode, sei lá... Estar saindo de casa agora mesmo porque teve uma visita indesejada e inesperada.

Eu sustentei essas ideias até onde eu pude, até atingir o limite da minha paciência. O relógio marcava 19:00 quando eu levantei da cadeira, peguei minha bolsa, e saí irritada da lojinha fofinha.
Quem o Niall pensa que eu sou? As antigas peguetes dele que aceitavam qualquer merda que ele fazia? Foi para aguentar esse tipo de coisas que nós começamos a namorar? Ah, não. Não mesmo. Vamos consertar isso agora mesmo. Ele vai ter que me ouvir muito.

Bati na porta da casa dele com uma certa raiva, e me arrependi logo em seguida. Quem me atendeu foi a Maura, com um sorriso super dócil e receptivo. Às vezes eu esqueço que meu namorado não mora sozinho, e isso pode até ser bom para ele porque se a Maura não estivesse ali, eu bateria muito nele. Brincadeira, gente, eu só daria uns tapinhas mesmo, nada demais.

-Olá, querida, como está? -ela perguntou, enquanto me abraçava carinhosamente.
-Estou bem, dona Maura -omiti a verdade, dando um sorriso- e a senhora?
-Estou indo, minha filha... Graças a Deus está tudo bem -ela riu- Aceita um café?
-Não, obrigada. Na verdade, eu nem vou demorar muito, só quero falar com o Niall. Ele está?
-Não, ele saiu mais cedo, quase uma hora atrás -esse viado tá me traindo, é isso mesmo?- Ele não atende o telefone? -minha sogra perguntou, inocentemente.
-Não, não... É que eu tenho que me encontrar com ele e... Hm, eu... -cocei a cabeça, não sabendo o que falar.
-Ah, querida, eu tenho o endereço de onde ele está -ela se apressou em me entregar um papelzinho pequeno com o endereço escrito em caneta preta- Chegou uns amigos dele aí e saíram todos juntos. Acho que foram jogar futebol, não sei... 
-Ah, sim -assenti, sentindo-me um pouco mais aliviada. Foram amigos homens, ele não está me traindo- Poxa, dona Maura, muito obrigada, viu? -sorri.
-Que nada, querida! -ela abanou a mão no ar, e depois eu abracei-a.
-Tenha um bom dia.
-Você também.

Quando cheguei na rua que o endereço instruía, percebi que na esquina havia um estádio de futebol. Acho que já entendi a história toda. Niall marcou com o dono do estádio um dia para ele usar o espaço com os amigos. No dia em que íamos nos encontrar. Nossa, que ótimo.
Com passos fortes, caminhei até o final da esquina, e quando cheguei na porta do estádio enorme, tinha uns caras conversando.

-A senhorita deseja...? -um deles perguntou.
-Ahn, meu namorado está jogando aí dentro. Vim encontrá-lo.
-Tudo bem -respondeu, pegando uma prancheta- Pode me falar o nome dele, por favor?

Ergui uma sobrancelha, e ele percebeu que eu achava isso uma coisa estúpida. Eles acham que estou mentindo? Por que eu iria querer entrar em um campo de futebol em outra situação? Virou festa para ter que dar nomes? Palhaçada...

-Ordens da casa -ele deu de ombros.
-O nome dele é Niall -informei, sem vontade- Niall Horan.
-Ah, tudo bem. Pode entrar -ele autorizou minha passagem e eu agradeci.

De longe, tudo o que eu consegui ver foram alguns caras jogando bola. Todos estavam de chuteiras, short e colete para identificar quem era do time de quem.
Quando vi Niall jogando despreocupado, todo sorridente e suado, respirei incontáveis vezes para manter a calma.
Fui para a arquibancada e me sentei pacientemente no banco. Já que esse jogo é tão importante ao ponto dele esquecer nosso encontro, vamos esperar ele ser concluído, não é?

Após vinte minutos de bola rolando e garotos suados correndo para lá e para cá, eles pararam de jogar. Meu namorado e seus amigos se sentaram no gramado e ficaram bebendo água e rindo por cinco minutos. Eu já estava cansada de esperar aquilo terminar, então fui descendo as escadas até o campo.
Niall me viu e veio até mim com um sorriso no rosto e com uma expressão de dúvida.

-Amor? O que faz aqui? -me deu um rápido selinho.
-Puxa, pelo menos você lembra quem eu sou! -falei, debochadamente. Ni cerrou os olhos, super confuso.
-Como assim, S/n?
-Você não lembra que íamos sair hoje? Eu fiquei esperando você na loja por uma hora, Niall, UMA HORA!
-A gente ia s... -ele parou de falar subitamente quando lembrou do encontro- Ai, droga! Droga, droga...
-Obrigada pela consideração, viu? Estou muito feliz com o seu vacilo. 
-Poxa, meu amor, me desculpa, de verdade. Eu esqueci totalmente. Eu marquei com os caras para jogar e nem percebi que nosso encontro era no mesmo dia...
-Isso só prova que o futebol é mais importante que eu, né. 
-Não, S/n! Eu tinha marcado o futebol antes e não percebi que era no mesmo dia... Me desculpa, amor -ele roubou-me um selinho- o que posso fazer para compensar, hein?
-Compensar os 60 minutos que eu fiquei te esperando naquela loja? Nada. Sinto muito. Agora você já pode voltar a jogar o seu tão amado futebol, Niall -disse e me virei, caminhando para a saída. 
-S/n, volta aqui! -ele pediu, mas eu nem sequer olhei para trás.

Dois dias depois...

Ele não me ligou, não mandou mensagem e não veio na minha casa. Talvez ele queira acabar com o namoro, e quer saber? OK! Se ele está pouco se lixando que não estamos nos falando, não posso fazer nada. Essa atitude só me mostrou que ele não liga muito para o nosso relacionamento e nem para os meus sentimentos.

Desci as escadas do meu apartamento correndo, já estava um pouco atrasada pra faculdade e ainda teria que esperar um táxi pois minha irmã está usando meu carro. Ótimo, além da vida sentimental ferrada, ainda tenho que aturar meu próprio atraso. Valeu, vida!

Eu estava andando apressadamente até o ponto de táxi quando senti que um carro preto estava me seguindo. Seu eu começava a andar um pouquinho mais rápido, ele andava também. Pronto, pra completar a bosta toda, serei sequestrada, pensei. Até que o vidro do tal carro foi abaixando aos poucos e quando eu olhei para o lado (para memorizar a cara do sequestrador) era o Niall. O alívio foi grande, mas a raiva também.

-Você tá maluco, Niall? -perguntei, inconformada.
-O que foi? -ele riu, achando engraçado o meu quase ataque cardíaco.
-Quase que eu desmaio de susto aqui, achando que era um sequestrador, um bandido, ou coisa parecida! -ele gargalhou.
-Até que para um sequestrador, eu tô bem bonitinho, né? -fez graça. Rolei os olhos e continuei a caminhar- Oh, espera! Não quer uma carona?
-Não, obrigada -respondi, sem parar de andar.
-S/n, vamos lá, eu sei que você está atrasada!
-É, eu estou mesmo, mas eu posso chegar no segundo tempo de aula. Melhor que ir com você porque... vai que você esquece o caminho da minha faculdade e me atrasa mais ainda?
-Ah, S/n, para com isso, vai... -ele murmurou, com uma carinha fofa- Eu já pedi desculpas mil vezes, estou super arrependido. Vou prestar mais atenção da próxima vez. Prometo.

Não respondi nada, pois não queria ceder assim tão fácil.

-Amor, entra no carro.
-Não, Niall.
-Eu te deixo lá em 10 minutos -insistiu, tentando manter a velocidade do carro a mesma que a minha.
-Prefiro pegar um táxi.
-S/n, para com isso...

Não respondi mais nada porque ainda tinha esperanças de que ele percebesse que eu realmente não queria papo, mas pelo contrário, passaram-se alguns poucos minutos e ele freou o carro, saiu do mesmo e ficou de frente para mim, impedindo-me de continuar a andar.

-Você calça 37, tem pavor de rato, sua fruta favorita é abacaxi, não gosta muito de receber elogios, prefere praia do que piscina e acha ridículo quando eu mastigo chiclete fazendo barulho -ele sorriu de leve e eu não pude evitar de fazer o mesmo- Além disso, você queria muito conhecer a África e tem vontade de aprender a surfar... Detesta chá e prefere Batman do que Homem-Aranha.
-Niall, o que você est...
-Você ama crianças e idosos, odeia matemática, é apaixonada por livros e sua série favorita é The Walking Dead -ele deu de ombros e, mais uma vez, sorriu encantadoramente- Só tô falando isso porque eu te amo tanto que aprendi várias coisas sobre você, e não posso deixar que você fique chateada comigo por minha culpa. Eu sei, fui um idiota, admito isso e tomo toda a culpa para mim, mas você precisa me perdoar.
-Preciso?
-Sim, precisa. Se não eu serei obrigado a encher seu celular de mensagens e ligações, e sua casa de flores, chocolates, ursinhos de pelúcia e todas essas coisas melosas que as mulheres amam.
-Isso não seria tão ruim assim... -murmurei, sorrindo.
-Nem brinca com isso, S/n! -ele rolou os olhos e num movimento rápido me puxou pela cintura- Eu te amo, sua boba. Nunca te deixaria esperando por mim de propósito.
-Tudo bem, Niall Horan... Vou deixar você me levar para a aula só para te dar uma moral -ele riu e me deu vários beijos.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário