IMAGINE. LEIA. NAVEGUE.

terça-feira, 25 de agosto de 2015

One more kid? No!

Resultado de imagem para liam payne

-Vem, filha, vem tomar banho, por favor. Ajuda a mamãe! -Pedi para minha menina de apenas dois anos de idade que não parava quieta na sala. Corria de um lado para o outro, sem parar, com uma boneca na mão- A vovó está nos esperando, Kylie! E eu ainda tenho que me arrumar, vem!

Corri atrás dela, que quando percebeu minha perseguição, soltou uma gargalhada e correu ainda mais com suas curtas perninhas.

-KYLIE PAYNE, VENHA TOMAR BANHO, SUA PIRRALHINHA! -Gritei, tentando parecer durona, mas ela começou a rir da minha cara, o que me fez rir também.

Para adiantar, fui até o banheiro e enchi a banheira até a metade com algumas loções especiais para a pele dela. Separei uma roupinha fresca e em seguida, voltei para a sala outra vez. Kylie brincava com alguns ursinhos de pelúcia.

-Acabou o tempo de diversão, bonequinha -Peguei-a no colo, beijando-a de leve. 
Ela não reclamou da minha interrupção, mas também não largou o urso.
-Vamos tomar um banho para ficar cheirosa e tirar toda essa sujeira acumulada -Fiz cócegas nela, que soltou altas risadas.
-Nau queru banhu! -Fez um beicinho muito parecido com o do pai.
-Quer ficar fedorenta? -Ela assentiu freneticamente com a cabeça- Mas você é uma princesa, não pode ficar fedorenta, amor! -Beijei seus cabelinhos.
-Pinxesa... -Murmurou, distraidamente, enquando abraçava o urso.

A partir do momento em que a coloquei em uma banheira, comecei uma batalha, porque como quase sempre, Kylie ficava inquieta. Ela ficou brincando com a água e, por isso, molhou o banheiro inteiro. Depois, quis colocar o urso de PELÚCIA dentro da banheira! Óbvio que eu não deixei, e ela começou a chorar.

-Filha, se você colocar o ursinho aí dentro, ele vai se afogar e vai morrer. É isso que você quer? -Ela balançou a cabeça negativamente, limpando os olhinhos com as pequenas mãos- Então, deixa ele aqui do lado de fora e quando você sair do banho,fica com ele

Depois do banho -Que na verdade foi quase impossível de ser concluído- eu a vesti com as roupas que tinha separado. Penteei os cabelos dela, passei perfume e alguns hidratantes infantis. Depois, levei-a para o meu quarto, onde Liam estava, assistindo um programa de esportes enquanto lia alguns papéis.

-Amor, toma conta da sua filha, preciso me arrumar -Disse, colocando Kylie em seu lado na cama.
-Tudo bem, amor. Eu tomo conta dessa boneca aqui -Respondeu, brincando com ela, que começava a ficar agitada de novo- Está cheirosa, mocinha.
-Banhú -Disse, brincando com o rosto do pai.

Depois que tudo ficou pronto, partimos para a casa da mãe do Liam, a aniversariante do dia. Ela quis fazer um almoço em família para comemorar a data.

[...]

-Ôh, minha lindinha! -Karen, minha sogra, disse à Kylie, que logo abriu os braços e pulou para o colo dela- Como vai a minha netinha linda, hein?
-Dê um 'feliz aniversário' para a vovó, filha. -Pedi.
-Felix nessário, vó -Dona Karen abriu um sorrisão e apertou Kylie em mais um abraço.
-Obrigada, meu amor -Deu um beijinho na neta e depois, ela direcionou o seu olhar para nós (eu e Liam) com um sorriso gentil no rosto.
-Olá, minha querida. Como você está? -Me deu um abraço.
-Vou muito bem -Sorri, ao responder- e a senhora?
-Estou me sentindo velha -Murmurou, brincando.
-Oh, não exagere, você está ótima -Elogiei e ela agradeceu- Feliz aniversário, dona Karen.
-Obrigada, querida. 

Kylie desceu do colo da avó e começou a correr pela casa. Logo foi recebida em um abraço por outros parentes que estavam ali. Liam falou com a mãe e logo em seguida fomos adentrando mais na casa.

Cumprimentamos todos e depois de um tempo, Liam ficou na parte externa da casa conversando com alguns tios, enquanto eu fiquei com a irmã dele e as primas na sala, assistindo TV. Kylie ia para todos os lados, então, quando não estava na sala e inventava de correr para outro cômodo, eu ia atrás.

-Filha, saia daí! -Pedi, puxando-a de leve do chão- está sujo e depois você fica colocando a mão na boca, vai ficar dodói.
-Dodói, não!
-Dodói, sim!
-KYLIE, COLOQUEI DESENHO PARA VOCÊ VER! -A irmã do Liam gritou da sala.
-Ih, filha, desenho! A tia colocou para você na TV. Vem, vamos ver! -Estiquei a mão com uma cara de animada para ver se ela ficava entusiasmada.
-VAMÚUU!! -Ela pegou a minha mão com força e me puxou correndo para a sala.

Ela assistiu desenho por um bom tempo, mas quando acabou, ela levantou e começou a vagar pela casa novamente. E eu, como sou uma mãe super dedicada, tive que ir atrás. Kylie foi em direção ao jardim, onde Liam estava, e quando o viu, correu para os braços dele. Sorri para com a cena. Apesar de ela ainda ser tão pequena, possui uma ligação linda com o pai. Fico pensando quando ela for adolescente... Eles dois irão se entender muito bem e eu fico realmente muito feliz com isso.

-Você não para quieta, né, flor? -Ele brincou, e ela deu um gritinho, animada, fazendo os tios de Liam, que estavam em volta, soltarem uma risada. Liam a encheu de beijos, e ela riu- Sua sapeca! 
-Ela é tão animada, né? -Um tio de Liam comentou, rindo. Oh, põe animada nisso, pensei.
-É, sim, muito! -Liam respondeu- Vem cá, amor -Ele me chamou e eu me aproximei- Eu estava conversando aqui com meu tio e ele concorda de termos mais um filho.

Meu Deus! Ele insistia nisso dia e noite. Eu sempre explicava minhas razões para não querer outro filho agora, mas ele não ligava.

-Também quero outro, amor, mas agora não dá. Kylie ainda é muito pequena, exige muita atenção... -Expliquei e ele fez uma careta, fazendo todos rirem. Dei um tapinha na cabeça dele.
-Princesa, você quer um irmãozinho? -Ele perguntou à Kylie, que fez uma cara de brava e logo balançou a cabeça negativamente.
-Viu, só? -Provoquei.
-Ela é criança, não sabe o que diz -Liam tentou justificar, mas acabou rindo- Você quer um irmãozinho, sim, dona Kylie Payne!
-NÁU! -Ela logo respondeu e todos riram.

[...]

Na hora do almoço, todos se reuniram na enorme mesa que havia na cozinha. Karen fez alguns agradecimentos e seu marido a disse algumas palavras bonitas que fizeram até algumas pessoas chorarem. Só depois, começamos a comer.

-Vocês não acham que devíamos ter mais um filho? -Liam disse para suas primas (um pouco alto). Tive vontade de rir e bater nele ao mesmo tempo.
-Com certeza! -Uma delas disse e Liam me mandou um olhar do tipo "EU NÃO TE DISSE?"
-Eu também acho que vocês devem ter mais um, mas a Kylie ainda é tão pequenininha, não acham? -A outra disso.
-Sim, acho! -Fizemos um high-five e meu marido revirou os olhos, fazendo-me rir.

O assunto mudou e no meio da refeição, eu cheguei perto do Liam, enquanto todos conversavam, e cochichei no ouvido dele:

-Fica tranquilo que nosso segundo herdeiro vai nascer... Na hora certa -Dei um beijinho em seu ouvido e ele se virou para mim, sorrindo.
-A hora certa é agora, sua bobinha -Ele me deu um selinho rápido.
-Não, não é, e eu já disse mil vezes por quê.
-Nenhum dos seus motivos me pareceu justificável.
-Liam Payne, nós não vamos ter um filho agora. Quem sabe daqui a uns anos.
-Anos? Ah, não... 
-Ah, sim.
-Assim que chegar em casa, conversaremos sobre isso.
-Ai, vou mesmo ter que ouvir você falar todas aquelas coisas outra vez? -Fiz cara de tédio.
-Vamos avaliar tudo o que nos impede, e tudo o que nos permite ter mais um bebê.
-Então a resposta para a minha pergunta é 'sim'... -Comentei, e ele riu.

[...]

Quando chegamos em casa, o relógio maracava 22:47. Sim, ficamos todo esse tempo na casa da dona Karen. Sempre que vamos lá gostamos de curtir a companhia de cada um deles, e isso rende boas conversas (e comidas deliciosas).

Depois de estacionar o carro e sair de dentro do mesmo, caminhamos até a porta de entrada da nossa casa. Kylie estava em um sono profundo no colo do Liam, enquanto eu segurava minha bolsa e a sacola que dona Karen nos preparou, cheia de comida dentro. Coisas de mãe...

Pedi a Liam que trocasse cuidadosamente a roupa de Kylie por um pijama mais quente e que a colocasse na cama. Quando ele terminou, eu já estava com uma roupa mais confortável, pronta para dormir. Fui para minha cama, porém, Liam não me deixou dormir.

-Amor, precisamos conversar primeiro.
-Liam, são onze horas da noite e eu gostaria de dormir. Estou cheia de sono. Posso?
-Não -Bufei.
-Podemos conversar sobre isso amanhã -Afirmei.
-Não, amor, você vai me enrolar que eu sei- Ok, ele estava certo. Liam acendeu as luzes do quarto, clareando todo o ambiente e fazendo minha vista se 'assustar'.
-Não! Eu posso conversar com você de luz apagada.
-Promete que não vai dormir? -Ri, brevemente.
-Prometo. Vai, apaga -Pedi e ele apagou, vindo em direção a cama logo em seguida.
Liam se sentou com pernas de chinês, igualmente à mim, e ficamos um de frente para o outro, no meio da cama.
-Pronto, pode falar.
-Primeiro: quero saber, de novo, os motivos que, para você, nos impede de ter outro filho.
-Ok -Respirei fundo- Primeiro ponto: Kylie. Ela é muito pequena e exige muita atenção, você sabe disso. E além do mais, não sei se ela vai aceitar bem o fato de não ser mais a nossa única filha. Não agora, em que só tem dois aninhos de idade.
-Amor, somos dois. Podemos revezar.
-E quando você estiver em turnê? Ou em época de gravação? Não vai dar... -Neguei com a cabeça,
-Mas já pensou se nós tivéssemos tido gêmeos?
-Mas nós não tivemos... -Ele suspirou, e pegou em minhas mãos.
-Eu quero muito isso, amor.
-Eu sei, eu vejo isso... -Fiz carinho nas bochechas dele- Mas agora realmente não vai dar.
-E se nós combinássemos quando iremos poder ter o outro?
-Por mim, seria perfeito daqui há oito anos anos. -Ele arregalou os olhos.
-Que tal... três anos?
-Sete.
-Quatro!
-CINCO! -Falamos juntos.
-Fechado?
-Fechado! -Sorrimos um para o outro, e em seguida, ele me puxou para um abraço forte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário