IMAGINE. LEIA. NAVEGUE.

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Linda professorinha Part. I




Ele estava atrasado de novo. Mais uma vez, o "querido" tio do meu aluno vai chegar depois da hora. A mãe de Theo tinha ligado para a escola para informar que quem viria buscar o pequeno outra vez seria Niall Horan. Sim, de novo! Ontem ele também veio e também chegou atrasado. Detesto esses famosos que acham que podem fazer tudo o que querem.

-Estou com fome -Theo murmurou ao meu lado- E também estou muito cansado, tia s/n.
-Você quer sentar um pouquinho lá dentro? Ele já deve estar chegando...
-Ok, vou ficar lá dentro com a Sharon -E então ele soltou sua mãozinha da minha e voltou correndo para a parte interna da escolinha.

Depois de 20 minutos de espera, Niall Horan chegou, com sua beleza e com sua pose de galã. É um metido mesmo.

-Senhor Horan, tenho que te informar, mas aposto que você ja sabe: Está atrasado. Quarenta minutos de atraso! Deixou seu sobrinho esperando por lon... -Disse, com uma raiva aparente, porém ele me interrompeu.
-Linda professorinha, eu sei que estou atrasado, mas não tenho culpa. Estava um trânsito infernal, você queria que eu fizesse o quê? E mais: não pense que você pode me dar lição de moral só porque é gostosa e tem um rosto angelical, ok?
-Eu não acredito que ouvi isso -Ri, incrédula- Você não tem o menor senso de ética!
-Você tá realmente falando assim comigo? Eu sou Niall Horan.
-E daí que você é Niall Horan? -Fiz pouco caso- Aliás, eu sei muito bem quem você é e também conheço muito bem o TIPO de cara que você é, e homens assim, não merecem um pingo do meu respeito.
-Eu só cheguei atrasado por causa do trânsito, você tá fazendo tempestade em um copo d'Água! -Ele rebateu, mas não estava com tanta raiva quanto eu.
-Você chegou atrasado ontem também.
-Por causa do trânsito, de novo...
-Se você sabe que tem trânsito, por que não sai mais cedo de casa? 
-Porque sou um homem ocupado.
-Eu não tô nem aí, eu só estou pedindo para você chegar na hora certa! É seu sobrinho!
-Professora pode falar assim com o responsável de aluno? -Debochou. Senti meu sangue subir. Se eu pudesse, daria na cara dele.
-No meu manual, se o responsável age como um idiota, pode sim!
-Ah, no seu manual? -Ele riu incrédulo dessa vez- Que geniozinho forte hein, madame... É gostosa e cheia de marra.
-Não acredito que você continua fazendo essas insinuações! -Respirei fundo, tentando não matá-lo- Entenda uma coisa, Sr. Horan...
-Por mais que seja sexy ouvir você me chamar de "Sr. Horan", prefiro que me chame simplesmente de Niall -Ele me interrompeu e eu fingi não me importar.
-Enfim, quero que entenda que eu não sou o tipo de mulher que você costuma pegar, ok? Eu sou a professora do seu sobrinho e exijo o seu respeito.
-Me desculpa, mas quando tem mulher bonita na minha frente, não consigo segurar as palavras dentro da boca.
-Pois deveria! -Rebati, ainda com raiva- Ah, quer saber? Vou logo chamar seu sobrinho, ele não merece esperar ainda mais do que já esperou.

Dei as costas a ele e caminhei para dentro da escola. Avisei ao Theo que o tio havia chegado e ele abriu um sorrisão. No meio do caminho de volta para o portão da escola, Theo soltou minha mão e correu de braços abertos até Niall, que o recebeu da mesma forma. O tio jogou o garoto pro alto, e ainda fez cócegas nele.

-Muito obrigado, professora -Horan disse, depois de causar várias risadas no sobrinho- Você foi muito paciente comigo.

Retribuí com um sorriso falso e isso o fez rir.

-E Theo, você não me disse que estava bem de professora, hein! Se no meu tempo fosse assim... -Revirei os olhos, observando o pequeno fazer uma careta de confusão por não entender o que o tio queria dizer com aquelas palavras.
-Theozinho, diga à mamãe que você tem bilhete na agenda, ok? -Dei um beijinho na bochecha dele, que ainda estava no colo de Niall.
-E o tiozão aqui não ganha beijo, não? -Sim, ele disse isso.
-Eu preciso responder?
-Não. É melhor eu ir para casa sem um fora.
-Também acho -Concordei- Tchau.

No dia seguinte

No horário da saída, percebi que Niall já havia chegado e esperava o sobrinho pacientemente. Ele me deu um tchauzinho e eu apenas sorri de volta, pois estava entregando as crianças a seus responsáveis e algumas mães queriam falar comigo. Porém, quando fui entregar o pequeno Theo, não pude deixar de comentar:

-Uau, Niall Horan, você por aqui no horário certo? -Chequei meu relógio só para fazer uma cena mesmo- Isso é um milagre ou você resolveu usar meu conselho?
-Na verdade, eu fiz esse favor para receber outro em troca -Ele deu um lindo sorrisinho.
-Foi um favor você chegar cedo para pegar seu sobrinho? -Eu ri, negando com a cabeça ao ouvir aquelas palavras- Isso é sua obrigação, sinto muito te informar. E eu não vou te conceder favor nenhum...
-Eu vir buscá-lo é uma obrigação, mas chegar na hora... -Ele entortou os lábios, colocando uma mão no bolso da sua calça. A outra segurava a mãozinha do Theo.
-Chegar na hora também é seu dever, Niall Horan! Não pense que ser famoso te livra de algumas necessidades básicas.
-Você é sempre marrentinha assim? -Ele mantinha um sorriso de lado nos lábios. Era admirável, devo admitir.
-Só com quem merece -Respondi, prontamente.
-Devo ficar previlegiado ao saber que mereço seu "marrentismo"? -Brincou, me fazendo rir.
-Acho que não...
-Então, deixe-me ficar previlegiado por almoçar com você -Niall Horan tinha uma expressão muito malandra no rosto. Ele realmente era um galã, sabia como conquistar qualquer mulher. Mas eu não sou qualquer mulher...
-Acho que você vai precisar se esforçar mais um pouquinho para ter um almoço comigo, Horan -Dei meu melhor sorriso, e em seguida, abaixei meu olhar para Theo. Dei um beijinho nos seus cabelos- Te vejo amanhã, amorzinho.
-Esse amorzinho também poderia ser para mim -O galã comentou, como quem não queria nada e eu soltei uma risada.
-Melhor não -Murmurei, antes de dar as costas a ele.

Niall narrando:

Ok, eu já perdi a conta de quantas vezes tive que ir naquela escola buscar Theo para no final, não dar em nada. Vocês não acham que eu pedi à minha cunhada para buscar meu sobrinho todos os dias da semana porque eu o amo, né? Obviamente eu amo o Theo, mas não é por isso que eu vou até lá, até porque é chato demais parar o que estou fazendo e ir na escola. E bom, explicando isso, você entende que eu realmente estou de olho na professora gostosa dele, né?

Que mulher marrenta, cara! Mas eu não resisto... Parece que quanto mais ela me dá fora, mais eu fico com vontade. Mas homem mulherengo é assim mesmo.

Saí do carro quando faltavam apenas cinco minutos para a hora da saída de Theo. Esperei, como o resto dos dias, junto com os outros responsáveis.

Fiquei observando a professora entregar os alunos a seus respectivos pais, e quando ela veio para me entregar o Theo, sorri. Ela retribuiu, mas isso não me deu nenhuma esperança, pois já sei o tipo de mulher difícil que ela é.

-Preciso conversar com você uma coisa muito séria.
-Niall, eu não vou sair com você.
-Podemos conversar depois? -Prossegui, fingindo que nem tinha ouvido. Ela suspirou.
-Tudo bem. Me espere no portão da saída. Vou terminar algumas coisas e daqui a menos de vinte minutos te encontro.
-Mesmo? -Quis ter certeza.
-Você quer que eu mude de ideia?
-Opa, já estou indo -Peguei na mão do Theo e, juntos, fomos para o lado de fora da escola. Estava cheio de responsáveis e alunos, o que me deixou ainda mais ansioso para vê-la.


Fiquei repassando na minha mente as palavras que eu deveria usar. Eu ia ter que implorar mais um pouco. Isso me fazia sentir ridículo porque eu nunca precisei implorar atenção de mulher nenhuma, só dessa professora! Mas ok, se eu conseguir, vai valer a pena.

-Theo, você me ajuda numa coisa?
-Sim!!!!!
-Quando eu falar alguma coisa com você, você diz "sim, tia S/n, sai com o tio Niall porque ele é muito legal." Pode ser? -Ele assentiu a cabeça freneticamente e eu desejei que ele não esquecesse do plano.

Os vinte minutos se passaram um pouco demorados, mas quando eu vi S/n vindo em nossa direção, sem o jaleco e com óculos de sol, me esqueci completamente do tempo que tive que esperar. Meu Deus, essa mulher é de outra galáxia, pensei, linda pra caramba!

-E então? -Falou, com uma expressão sugestiva, esperando o que eu tinha para dizer.
-Ok, vamos lá -Respirei- Você não namora, não está noiva, e muito menos casada -Agradeci mentalmente a Deus ao pronunciar essas palavras- Então, por que você não me dá uma chance?
-Eu te conheço a quantos dias mesmo? -Debochou, sorrindo.
-Dias? Vai fazer duas semanas! -Disse- Meu irmão já cansou de me agradecer por poupar o trabalho dele de vir buscar o Theo!
-Você está fazendo um ótimo favor a ele! Sei o quanto os pais de Theo são trabalhadores...
-Ah, por favor, S/n, você sabe muito bem que não faço isso por eles.
-Então faz pelo Theo, né? -Disse, me tirando do sério.
-Não, professorinha, eu faço isso por você!
-Meu Deus! Por mim? -Fingiu que não sabia- Ninguém na faculdade me disse que eu teria tios de alunos caindo aos meus pés.
-Não estou caindo aos seus pés! -Afirmei.
-Ah, então eu não preciso perder meu tempo aqui, conversando com você, não é? -Rebateu, e eu revirei os olhos- Até amanhã, querido Niall.
-Não! -Impedi- Tudo bem, se é isso que você quer ouvir, eu estou sim caindo aos seus pés e estou louco para te beij... Quer dizer, estou louco para te levar para sair -Ela sorriu, e eu senti um alívio.
-Mais alguma coisa, Horan? -Espera... O que?
-Como assim mais alguma coisa?
-Você não tem mais nada para me dizer? -Cruzou os braços, e eu quase me perdi, olhando seus peitos.
-Por Deus, S/n, o que mais você quer ouvir de mim? É tão difícil assim me concender um simples jantar? Juro que se você aceitar, eu não te perturbo mais!
-Ideia tentadora... -Comentou, e eu peguei Theo no colo.
-Vai, Theozinho, o que você tem a dizer à sua professora?
-Ah, o tio Niall pediu pra eu te falar pra você sair com ele porque ele é muito legal -S/n gargalhou.

Nossa, Theo, obrigado, viu?!

-Ele disse isso para você, amorzinho? -Perguntou, carinhosamente para ele, que logo assentiu em um balanço de cabeça- Acho que vou dar uma chance para o seu titio chato.
-Acho que estou sonhando -Brinquei.
-Se você quer que fique só no sonho mesmo, tudo bem -Deu de ombros.
-Não, para! Você gosta de me fazer implorar, né?
-Sim. É divertido.

Um comentário: