IMAGINE. LEIA. NAVEGUE.

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Espera... Niall?

Resultado de imagem para niall horan

Desliguei a TV, ainda meio chorosa com toda aquela linda história representada em um filme de apenas uma hora e meia. Sequei com meus dedos as lágrimas que desciam pela minha bochecha. Filmes de drama sempre tiveram esse efeito em mim: fazer-me chorar. Mas eu já me acostumei.

Levantei do sofá e fui para o meu quarto. Fiquei ainda mais chorosa quando lembrei que meu marido estava em turnê, e provavelmente, só voltaria daqui a duas semanas. Estou sozinha, nesse nosso enorme apartamento. Eu o desejava mais que qualquer coisa no momento.

Tirei minhas roupas, peguei minha toalha e entrei no banheiro do nosso quarto, que por três meses, foi só meu. Mesmo tendo todo o espaço da suíte só para mim, eu ainda queria demais o Niall aqui.
Deixei a ducha cair sobre o meu corpo, trazendo-me uma sensação de conforto, já que a água estava quentinha. Quando finalizei o banho, coloquei uma roupa confortável e logo em seguida, desci para a cozinha, a fim de preparar algo rápido para comer, já que já que estava um pouco tarde.

Enquanto meu sanduíche esquentava na chapa, preparei rapidamente um suco de abacaxi. Após tudo ficar pronto, coloquei o lanche em uma bandeja e subi com ele para o quarto. Enquanto eu comia, mexia no notebook, e óbvio, que verifiquei o twitter do Ni. O último tweet foi postado há quatro dias, onde ele dizia que estava ansioso para o show que aconteceria naquela noite, em Bogotá. 
Suspirei, tentando colocar na minha cabeça de uma vez por todas que eu realmente só o veria daqui a uns longos dias.

Fechei o notebook, terminei o lanche e desci, indo até a cozinha para colocar a bandeja na bancada. Quando me virei, dei de cara com uma pessoa. Dei um grito, imediatamente, mas depois percebi que era o meu marido Niall.

Pera... NIALL???

Meus pensamentos estavam tipo: OIDHBSJDNLSODS O QUE ESTÁ ACONTECENDO? ASNDASDBNIULSDSA SOCORRO, QUE ISSO UISHUIBDA.

-Niall, cacete! -Reclamei, com meu coração batendo mais forte do que o normal.
-Caraca, amor, você fica meses sem me vê, e quando eu volto, você me diz isso?
Ele sorria de uma forma encantadora. Quanta saudade eu senti daquele sorriso maravilhoso. Quanta falta ele me fazia! 
-Não foi essa recepção que eu imaginei...
-Meu Deus, amor, por que você não me disse que ia voltar antes? -Quando vi, já estava jogada nos braços dele, abraçando-o com toda a força que eu tinha- Que saudade!
-Eu sei, também estava louco para te ver. Não pude aguentar nem mais um segundo -Ele retribuía, apertando-me cada vez mais forte. Me deu incontáveis selinhos.
-Vem, senta aqui para você me contar as coisas, por favor -Puxei-o, completamente animada e euforica.

Niall me seguiu, e quando chegamos na sala, ele largou a mochila que carregava consigo em cima do sofá. Tirou também o moletom, e depois, sentou-se ao meu lado, bem perto de mim.

-Vai, me conta por que você chegou antes do planejado... -Senti o braço dele rodear meu pescoço.
-Eles cancelaram os 10 últimos shows porque os países estava em guerra.
-Mentira! Sério? -Fiz uma cara de decepção pela primeira vez, desde que ele tinha chegado.
-Sim... Apesar de não gostar dessa notícia, eu fiquei feliz pra caramba ao saber que voltaria mais cedo. Eu não aguentava mais de saudade, juro -Ele beijou cada canto do meu rosto, me fazendo rir.
-Imagine eu, cara! Sozinha nessa casa enorme. Descobri que só você anima esse lugar, meu Deus.
-O que você fez durante todo esse tempo? -Perguntou, mas antes acrescentou- Não foi à nenhuma daquelas festas que eu não gosto, né?
-Claro que fui! Três vezes! -Menti, vendo a reação incrédula dele.
-S/N! -Repreendeu.
-É mentira, amor! Claro que eu não fui, não tinha nem clima sem você aqui.
-Ufa... -Colocou a mão no coração, fazendo um drama- Então o que fez?
-Fui na casa de algumas amigas, vi filmes, fui ao shopping, visitei meus pais...
-Parece que foi um tempo divertido...
-Definitivamente, não -Fiz uma careta, negando com a cabeça e ele riu, me aconchegando em seus braços novamente- Você é meu marido agora, ou seja, somos uma só carne, o que significa que eu estava incompleta sem você.
-Também estava incompleto... Não ligava todos os dias porque eu sabia que se ouvisse sua voz, ninguém ia conseguir me impedir de vir correndo para casa -Sorri, encantada.
-Quando você chegou aqui? -Mudei o assunto, ainda aproveitando a sensação de aconchego que os braços dele me transmitiam... Céus, quanta falta senti desse cheiro!
-Hoje, umas três horas atrás -Respondeu- A equipe da banda pediu para nós ficarmos no hotel até amanhã, mas óbvio que eu não ia conseguir mesmo! Sem chances.
Ri, depositando um beijinho rápido no queixo dele.
-Senti falta do seu cheiro -Ele encostou o nariz no meu pescoço, fazendo-me arrepiar com o toque- E eu levei um travesseiro que estava com seu cheiro. Foi muito difícil dormir a noite...
-Tudo aqui em casa me lembrava você, pode ter certeza que eu sofri mais -Acariciei as madeixas loiras dele, que ainda cheirava meus ouvidos, pescoço e bochechas, além de depositar beijos nessas partes vez ou outra.
-Nem acredito que estou abraçando você agora -Confessou, sorrindo e olhando-me nos olhos- Esperei tanto pra ter você em meus braços que chegou a doer, juro.
-Bom, agora eu estou aqui, totalmente entregue a você -Sussurrei contra os lábios dele, que acabou fechando os olhos, parecendo apreciar meu ato. Logo em seguida, me beijos.

Como pude ficar meses sem esse beijo? Esse toque? Essa voz, esses sorrisos, esses atos carinhosos? Como pude ficar sem ele? Meu Deus! 

-Você está proibido de ficar longe de mim durante um bom tempo -Afirmei, após nosso demorado e delicioso beijo.
-Vai ser um prazer cumprir essa ordem, meu amor -Respondeu, voltando a me beijar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário