IMAGINE. LEIA. NAVEGUE.

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Família


Na tela do MacBook estava Harry, deitado em uma cama de hotel e sorrindo para mim. Ele estava em turnê e durante todos os dias, ou quase todos, combinamos de nos ver pelo Skype. Hoje, felizmente, era o último dia que nos veríamos desse jeito, porque amanhã ele volta para casa. E quem vai buscá-lo será eu e nossa filha Alice, que aliás, ele tinha acabado de perguntar sobre:

-Cadê minha bonequinha? -Ele tinha um lindo sorriso nos lábios.
-No quarto dela, brincando -Respondi- Pergunta por você todos os dias.
-Chama ela para mim -Assenti e me levantei da cama, permitindo que meu marido visse meu micro short de dormir- Eitaaaa! Assim eu não aguento -Gargalhei.
-Só um pouco safado, né? -Ironizei, saindo do quarto.

A pequena de apenas quatro aninhos brincava sozinha com suas bonecas quando entrei no quarto. Ela abriu um sorriso e logo me mostrou uma roupa que tinha colocado na "Xiquita", sua mais nova boneca, que não foi nem um pouco barata para ela estar arrasando com a cara da bicha, mas ok.

-Vem, flor, papai quer te ver.
-Ele está no computador? -Os olhos verdinhos brilharam.
-Sim, filha! Ele está esperando você, vem -Estiquei meu braço, e ela rapidamente se levantou. Segurou minha mão e, juntas, voltamos para o quarto.

Quando chegamos no quarto, eu sentei na cama e ela se sentou em meu colo. Posicionei o notebook de uma forma que Harry pudesse nos ver melhor e ele sorriu, igualmente à nossa filha, que começou a bater palminhas histéricas.

-Papai! Que saudade -Disse.
-Filha, você cresceu demais! -Ele brincou, fazendo-a rir- Estou morrendo de saudade, boneca, mas amanhã vou te dar muitos beijinhos.
-A mamãe disse que nós vamos buscar você no raéropoto.
-É aeroporto, amor -Corrigi-a, fazendo Harry dar uma risada pelo erro dela.
-Alice, você e a mamãe vem sim me buscar! Para eu dar muitos beijos nas duas -Ela riu, adorava essas demonstrações de carinhos do pai.
-O tio Niall vem com você? -Alice simplesmente ama o Horan e ele parece uma criança quando está com ela. O amor é recíproco.
-Sim, filha. E eles estão pensando da gente almoçar juntos... O que acha, amor? -Ele direcionou seu olhar para mim, e eu concordei com a cabeça.
-Legal -Sorri.

No dia seguinte...

Tive que acordar um pouco cedo demais, porque além de me arrumar, tive que arrumar minha baixinha (claro), mas ela estava dormindo, então tudo ficou mais difícil. Nunca foi fácil arrumar uma criança enquanto ela dorme, às cinco horas da manhã.

Ainda fiquei meio enrolada porque tive que sair com ela no colo, enquanto fechava a casa, guardava as chaves dentro da bolsa, endireitava o meu óculos no topo da cabeça... Várias coisas ao mesmo tempo.

Foi complicado, mas eu consegui. Quando chegamos no estacionamento, arrumei-a em sua cadeirinha, no banco de trás, e depois tomei meu lugar no banco do motorista.

No caminho até o aeroporto, parei rapidamente em uma pequena lanchonete para comprar um biscoito e um achocolatado para Alice (quando ela acordasse). Comprei para mim apenas um café forte com a intenção de combater meu sono, pois ele também estava reinando em mim.

Quando finalmente chegamos no aeroporto -depois de horas porque (1) era longe e (2) teve engarrafamento- Alice estava acordada e bem agitada. Ela não aguentava mais ficar sentada, esperando o pai. Era admirável ver a ansiedade e a saudade que ela estava sentindo.

-Mamãe, eu quero o papai -Ela fez uma cara emburrada e eu ri.
-Também quero, Alice, mas temos que esperar. Seja paciente! -Pedi.
-Estou com fome -Fez uma voz chorosa.
-Já já o papai chega e nós vamos almoçar com os tios, ok?
-Mas eles vão demorar? -Me olhou com seus encantadores olhos verdes.
-Não, flor. Eles estão chegando.

Passou-se uns 20 minutos com Alice Styles falando pra caramba no meu ouvido. Eu não aguentava mais, porém, quando olhei para frente, avistei Harry conversando com os outros garotos. Para calar a boca da minha filha, disse:

-Olha quem tá vindo lá -Apontei para meu marido- Vai, flor, corre pro seu pai -E assim ela fez, sem pensar duas vezes. E ainda saiu gritando, fazendo o aeroporto inteiro olhar para ela.

Observei a cena de longe, sorrindo que nem uma boba. Harry agarrou Alice de uma forma tão carinhosa que muita gente parou para olhar o amor dos dois. Ele pegou-a no colo, beijou-a demais, fazendo-a rir, mas mesmo assim, nenhum dos dois se soltaram.

Andei apressadamente até eles e os abracei também. Meu marido me deu longos selinhos e abraços apertados. Ficamos nós três abraçados trocando amores.

[...]

-Me conta como você está indo na escola, boneca -Harry perguntou à filha, que não conseguia parar de sorrir com a volta do pai.
-Eu tirei muitos 10, papai.
-É verdade, amor? -Ele olhou para mim, fazendo uma voz mais grave por pura brincadeira.
-Sim, é verdade -Sorri- Só tirou nota baixa em uma.
-Mamãe, não era para contar! -Ela disse, desesperada, me fazendo prender um riso.
-Ele não vai brigar com você, amor -Respondi.
-Em qual matéria, filha?
-Matemática -Ela respondeu, num tom de voz baixinho.
-Ah, matemática é difícil mesmo. Na próxima prova você tira uma nota mais alta.
-Eu amo você, papai -Ela disse, com os olhinhos brilhando em sinceridade- E ESTOU COM FOME! E QUERO VER O TIO NIALL.

Nenhum comentário:

Postar um comentário