IMAGINE. LEIA. NAVEGUE.

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Família


Harry:

-Sorvete de quê, linda? -Harry perguntou para Alice, nossa filha, todo carinhoso.
-Molango -Ela respondeu, rapidamente.
-Tudo bem. E você, amor? -Olhou para mim, que pensei um pouquinho
-Pode ser limão... -Respondi.
-Ok, vou lá pegar -Levantou da mesa e seguiu até os atendentes.

Quando ele estava voltando com nossos pedidos, uma moça e uma menina que parecia ter a idade da minha filha, parou-o. Eles conversaram rapidamente e logo depois a menina deu um abraço em Harry. Provavelmente era uma fã. Alice me olhou com uma cara inconformada e logo disse:

-Quem é essa galota, mãe? -Ela cruzou os bracinhos e ficou olhando a cena.
-Deve ser uma fã do seu pai, amorzinho, assim como você! -Ela sempre dizia que era a fã número um do pai e dos tios.
-Mas só eu posso! -Ela se estressou.
-Ela só deu um abraço nele, Alice! Divida um pouquinho seu pai com ela -Tentei aliviar a situação, mas ela só fez ainda mais aquela carinha de brava, que nem a do pai.
-Não quelo dividir meu papai com ninguém! 

Ela saiu da cadeira com dificuldade e foi correndo até o pai. Levei um susto por isso, e levantei da cadeira também e corri atrás dela, mas foi tarde demais:

-Ele é o meu papai! -Alice disse brava para a meninha, enquanto abraçava fortemente as pernas de Harry, que me encarou confuso com tal ato. A menininha encarou Alice estranhamente e respondeu.
-Mas eu gosto das músicas dele! 
-Mas eu gosto muito muito mais que você! Eu sou mais fã que você! Ele é o MEU pai! -Minha filha respondeu, ainda nervosa e eu tive vontade de rir.
-Ta tudo bem, filha -Harry tentou, fazendo carinho nos cabelos dela- Ela é só uma fã.
-Não, papai, ela quer roubar você de mim! -Bateu o pé no chão. Admito que ela puxou isso de mim.
-Mãe, manda ela parar! -A pequena fã do meu esposo pediu socorro à mãe, que no momento, ria com os atos rebeldes e ciumentos de minha filha.
-Ta tudo bem, lindinha, ela não vai roubar seu papai de você -Ela afirmou para minha filha, que ainda não tinha soltado Harry e encarava-a de cara feia.

Nessa altura, Harry já gargalhava com a situação, enquanto eu me prendia para não fazer o mesmo. Aonde já se viu eu ter uma filha tão ciumenta assim?

-Acho melhor irmos embora, filha -A moça disse para a fãzinha, que concordou com um aceno, dando um tchau para o Harry- Ve se você me liga, Harry -Ela complementou, falando para meu marido e eu franzi o cenho.
-Como é que é? -Dessa vez, eu perguntei- Que história é essa, Harry?
-Ai, não... Duas ciumentas não dá! -Ele brincou, mas eu realmente queria saber que historia é essa.
-Hm, tchau... -a mulher disse, levando a filha junto.
-Pode explicando, Harry! -Cruzei meus braços e o encarei, esperando por uma resposta decente.
-Ela só me deu o número dela. É riquinha e acha que tem alguma chance de eu e os meninos cantarmos na festa da menina.
-Vai cantar nada na festa dela puquê eu não vou deixar! -Alice protestou- E eu também não vou deixar ela roubar os tios Liam, Louis, Zayn e Niall! -Precisava dizer o nome de todo mundo? E ainda complementou!- Menina ladrona!!!
-É ladra, Alice! -Corrigi e voltei minha atenção para Harry- E vocês não vão né? 
-Não, podem ficar tranquilas, suas ciumentas!!! -Ele deu língua para nós duas.

Niall:

Estava terminando de pintar minhas unhas, quando minha filha de apenas três aninhos desce da escada correndo e rindo.

-Jas, desce devagar! Você vai cair e se machucar! -Exclamei, e ela me obedeceu, diminuindo a velocidade. Chegou até mim eufórica e pulou em cima da minha barriga- Garota! O que houve? -Perguntei, rindo.
-Mamãe, olha a make que o papai fez em mim -ela ficou com seu pequeno rostinho perto do meu, e então, eu pude observar a merda que Niall tinha feito no rosto de Jasmine. Comecei a rir e então ela fez uma carinha de magoada- você não gostô?
-Que isso, filha! Eu adorei! Daqui a pouquinho eu vou subir para parabenizar seu pai por isso... -Ela riu alto, e me deu um beijo babado na bochecha, saindo do meu colo em seguida. 

Rapidamente, terminei meu trabalho e minhas unhas estavam prontas e lindas. Subi, e fui em direção ao meu quarto e o de Niall, pois ouvi a risada deles de longe. Tanta risada pra puxar e Jasmine foi puxar logo a do Niall, que é escandalosa. 

-Niall, o que você fez com o rosto da minha filha? -Fiz um drama de leve e ele gargalhou. Os dois estavam em cima da enorme cama de casal brincando com bonecas e maquiagens. Me sentei junto deles.
-Ela está linda, não? -Ele a olhou e fez uma careta. Ri com isso- Pelo menos ela gostou, né, filha? -Ela assentiu, passando alguma  maquiagem em uma pobre boneca.
-O que as duas crianças estão aprontando, hein? -Perguntei.
-Fala para a mamãe o que estamos fazendo, filha -Niall disse à Jas, sorrindo todo bobo. Aquela filha era o xodózinho dele.
-Nós estamos blincando de maquiar as minhas filhas -Ela respondeu minha pergunta, toda alegre, se referindo às bonecas dela- Olha como a Lola ficou -Ela apontou para uma das "filhas" dela e eu fiz uma careta. A boneca estava horrorosa, coitada.
-Acho que vocês confundiram batom com sombra e... HEY! Essas maquiagens são minhas! -Concluí, assim que percebi.
-Papai, ela descobliu! E agola? -minha filha disse para o pai, como se eu não estivesse presente. Olhei Niall com os olhos arregalados, querendo uma explicação e tudo o que ele fez foi sorrir.
-Amor, ela queria maquiar as bonecas e só quem tem maquiagem nessa casa é você -Deu de ombros- E a gente nem estragou, né, Jas? -Ele olhou para ela, que assentiu freneticamente- Se quiser compro outra.
-Não precisa -Suspirei, vendo que eles só tinham acabado com a ponta do meu batom preferido- Posso brincar com vocês? -Um sorriso largo surgiu nos lábios deles e no meu.
-Claro, mamãe! Você pode maquiar a Lisa. 
-Vocês dois juntos vão me dar um trabalho... Já to até vendo! -Lamentei, fazendo eles rirem. Meu marido me deu um selinho rápido e minha filha enroscou seus bracinhos no meu pescoço com força.

A partir de agora, eu só posso sentir pena das bonecas da minha filha.

Louis:

Bufei, irritada, pela centésima vez nesse dia. Talvez não fosse um dos meus melhores dias mesmo...

-LOUIS, VEM AQUI A-G-O-R-A! -Exclamei do segundo andar e ele apareceu depois de alguns segundos.
-Que foi, mulher? Eu estava vendo um DVD aqui e...
-Eu tô pouco me lixando pra que merda você tá fazendo, só quero que tire essa merda dessa toalha de cima da cômoda, ONDE NÃO É O LUGAR DELA! -Pedi, nervosa.
-Tudo bem, mas fica calma! -Pediu, com um sorriso no rosto. Ele levava tudo na brincadeira, meu Deus!
-Ficar calma? Como se não bastasse você, o Jim também está bagunceiro pra caraca e ele só tem DOIS ANOS! -Louis gargalhou. 

Eu tô com cara de palhaça?

-Louis, -botei a mão no rosto, tentando me acalmar- Por que você tá rindo? A parada aqui é séria!
-Você fica muito engraçada com raiva, amor -Respondeu sorrindo.
-É engraçado porque não é tu que tem que arrumar essa casa enorme, né. Idiota! -Já ia saindo do quarto, mas ele ficou na porta, impedindo que eu passasse pela mesma...- Dá licença!
-Só se você me der um beijo -Sorriu, divertido.
-Ah, Louis, eu tô falando sério! -Reclamei, tentando passar mais uma vez. E de novo, ele me bloqueou.
-Eu também to falando sério. Quero um beijo -Pediu mais uma vez e eu bufei. Homem insistente.

Dei um selinho rápido nele, porém, ele não deixou eu me afastar, me beijando intensamente dessa vez. Eu cedi. Deixei a língua dele invadir de forma gostosa cada canto da minha boca. Depois de alguns minutos eu me afastei dele.

-Agora tchau. E PEGA ESSA TOALHA, HEIN! -Ordenei, mais uma vez e ele riu, mas obedeceu. Fui para o corredor e não acreditei no que vi- Cacete, Louis, qual teu problema?
-O que eu fiz dessa vez? -Apareceu no corredor e eu apontei a cueca dele que estava no meio do corredor- Opa! Tô pegando já! -E assim ele fez.

Desci as escadas, revirando os olhos e encontrei Jim tirando meleca. Ele já ia colocar na boca, quando eu dei um grito, assustando-o.

-Filho, você não pode fazer isso, entendeu?! -Peguei ele no colo e o levei até ao banheiro.
-Meleca... Gostosa... -Foi tudo que ele disse. Agradeci por ele não saber muito o que falar por ter apenas dois anos.
-Não é gostosa coisa nenhuma. Meleca é ruim, ouviu!? -Olhei nos olhos dele, que assentiu- Ótimo!

Peguei as pequenas mãos de Jim e lavei-as carinhosamente. Quando acabei a limpeza, coloquei ele no chão e peguei na mãozinha dele, indo para a sala. Coloquei ele no sofá de volta. Vi Louis descendo as escadas enquanto isso.

-Estamos criando um porquinho -Falei, rindo e ele me encarou confusa.
-Ele estava comendo meleca de novo? -Perguntou e eu assenti- Eu só deixei ele fazer isso uma vez.
-LOUIS! -Repreendi-o- Você deixou que ele comesse meleca?
-Amor, todas as crianças do mundo já fizeram isso, poxa! Ele provou e gostou. E não tá tão errado porque realmente não é ruim.
-Não acredito que tô ouvindo isso.
-Mas a culpa não é minha! Quando ele fez pela segunda vez, eu juro que briguei.
-Sai da minha frente antes que eu te dê um tapa.

Eu realmente tenho que amar muito esses dois pra conseguir aturá-los. 

Zayn:

-Amor, tira o Isaac daqui! -Zayn gritou e eu fui até eles, que estavam na sala.
-Por quê? -Perguntei.
-Não consigo enxergar a televisão porque ele não sai de cima de mim -Nosso filho tinha apenas um ano, com certeza queria atenção. Isaac estava em cima dele, puxando seus cabelos e dando alguns tapinhas na cara dele, enquanto ele tentava se esquivar do filho e prestar atenção na TV.
-Ele quer brincar contigo, amor -Expliquei.
-Mas esse filme é bom demais! -Me informou e eu bufei. Zayn pegou Isaac no colo e deixou ele em pé no seu colo, com os pezinhos sobre os joelhos. Os dois ficaram cara a cara um com o outro e eu sorri com a cena- Filho, eu amo você, mas esse filme é ótimo e eu não posso perdê-lo, ok? Depois eu dou atenção para você, agora vai com a sua mãe! -Levantou com ele ainda em seu colo e veio até mim. Me entregou Isaac que ria de tudo.
-Vem, filho, seu pai não quer dar atenção para você, então eu dou, né, neném? -Disse, com voz de débil mental- Aliás, posso ligar para o titio Carl. Ele poderia te levar pra passear -Provoquei Zayn, já que ele morria de ciúmes desse amigo meu.
-HA HA HA -Riu irônico- Nada disso! Não quero esse cara perto do meu filho, de jeito nenhum.
-Mas ele é meu amigo e pode vir visitar Isaac quando quiser!
-Nem por cima do meu cadáver! -Ele se levantou e veio até nós, pegando Isaac outra vez- Vem, filhão! Agora eu vou brincar com você por uma questão de dignidade.

E então, desligou a TV e caminhou para o quintal com nosso filho. Ri sozinha, voltando para o que estava fazendo.

Liam:

-Manhêeeee, acorda! -Abri os olhos devagar e vi minha pequena Jayne pulando em cima da cama. Ela acordava bem cedinho e isso nunca era bom para mim e Liam. Meu marido foi se movimentando aos poucos. Percebi que ele também já tinha acordado.
-Que foi, Jay? -Disse, ainda sonolenta.
-Tô com fomeeeeee -Reclamou e eu fechei os olhos com força.
-Amor, desce e prepara um café da manhã para sua filha -Pedi a Liam, que riu irônico com isso.
-Vai você, amor. Preciso dormir por mais algumas horas..
-Opa, eu também! Volte para a cama, Jayne -Falei.
-Não! -Fez um biquinho emburrado, se deitando entre nós dois- Por favor, só quero comer alguma coisa. Meu estômago tá roncando -Nos informou.
-Daqui a pouquinho, filha! -Liam falou- Voltei a dormir.
-Não consigo e não quero. Preciso comer! 
-O que você tem nessa barriga, pirralha? -Meu marido continuou falando e eu ri com isso.
-Vamos lá, pequena, vou te fazer um café da manhã -Me levantei da cama enquanto ouvia os gritos animados dela, em comemoração- E se você não comer tudo, vai ficar de castigo por uma semana.
-Credo! -Fez uma careta. 
-Vou descer com vocês então -Payne se levantou- Nada como um belo café na companhia das mulheres mais importantes da minha vida -Ele sorriu e me deu um selinho em seguida.

Depois de fazermos nossas higienes matinais, descemos acompanhados da nossa pestinha. Perguntamos o que ela ia querer e a resposta foi grande. Torradas com geléias, sanduíches de peito de peru, vitamina de morango e biscoitos amanteigados. Quantas coisas cabem nessa barriga? Meu Deus!

Começamos a preparar as coisas e enquanto Liam passava a geléia na torrada, eu recheava os sanduíches e Jayne lavava os morangos. Até que meu querido esposo resolver passar geléia na pontinha do meu nariz. Obviamente eu revidei, e com requeijão. Ele me tacou alguns pingos de água, e o mesmo respingou em Jay, que nos encarou sapeca.

A merda já havia sido feita.

Nossa cozinha estava totalmente suja. O chão estava repleto de requeijão, geléia, torradas quebradas, pães de forma, leite e etc. E nós não parávamos de tacar as comidas e rir alto.

-A Zucreide vai sofrer pra limpar tudo isso, tadinha... -Liam comentou lembrando de nossa empregada e observando a sujeira- Enfim, vamos comer?

N/A: Zoei mesmo com o nome da empregada do Liam hahahah, bjs.

Nenhum comentário:

Postar um comentário