IMAGINE. LEIA. NAVEGUE.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Meu mafioso favorito

Resultado de imagem para zayn malik tumblr

-QUE SACO, S/N, EU TÔ DE SACO CHEIO DE VOCÊ, NÃO DÁ MAIS PARA A GENTE CONTINUAR! ACABOU TUDO, TÁ? AGORA VÊ SE ME DEIXA EM PAZ! -Zayn gritou, saindo logo em seguida, bem nervoso.

O problema desse garoto é que ele é nervosinho demais e isso me estressa pra caramba! Ele não consegue resolver as coisas com calma, só sabe berrar e apontar o erro dos outros. Infelizmente, Zayn se tornou esse tipo de pessoa por ser líder de uma máfia. Sim, uma máfia bem perigosa e popular aqui em Los Angeles. Eu nunca gostei do fato dele ser envolvido com esse tipo de coisa, mas como o amor tudo suporta, eu aprendi a lidar com isso. Porém, esse negócio de máfia acabou se intrometendo no nosso relacionamento. Zayn chegava em casa estressado por conta dos problemas do grupo e descontava tudo em mim porque ele não sabe controlar a raiva de merda dele.

Pensei por um segundo em ficar triste com o fora que ele havia me dado, mas comecei a pensar em mim. Sabe, eu aturo isso há quase dois anos. Aguentei os foras grosseiros que ele me dava quando estava nervoso, aguentei os dias seguidos em que ele passava fora de casa, aguentei notícias do tipo "Zayn matou um conhecido seu, s/n" (Sim, ele já faz isso, mas graças a Deus não era chegado)... Então, agora eu vou pensar em mim. Eu sempre fui esse tipo de garota forte, então não vou abaixar a cabeça por conta dessa palhaçada toda. Eu realmente não mereço isso! Ele quer terminar o nosso relacionamento? Beleza. Só espero que ele nunca mais me procure.

Respirei fundo e limpei as poucas lágrimas que rolavam no meu rosto por conta do surto que o meu EX-namorado deu, e segui para o quarto que dividíamos. Ele estava lá, sentado na cama, passando as mãos pelo cabelo de uma maneira agressiva. Tentei (e consegui) ignorar a presença dele ao máximo, peguei minhas três malas que haviam ali e comecei a retirar minhas peças de roupas do guarda-roupa. Zayn fingia que não estava vendo aquilo, mas ele não aguentou fazer isso por muito tempo:

-Garota, para onde você vai? -Perguntou, tentando manter a calma. Mas ele nunca conseguiu fazer isso, não é agora que vai conseguir. E como eu sou um pouco teimosa, resolvi colocar lenha na fogueira.
-Não te interessa -Respondi, pouco me importando e ele se levantou.
-Eu não tô pedindo para você me responder. Eu tô mandando! -Me encarou intensamente. Mas eu não ia me render. NÃO MESMO.
-Desculpa, Malik, mas tu nunca mandou em mim -Avisei- E agora nós não temos mais nada um com o outro e eu não devo satisfações da minha vida, então sai da minha frente e deixa eu arrumar a mala -Empurrei ele de leve para o lado, e ele ficou ainda mais irado.
-Você gosta de brincar com fogo, né, s/n? -Perguntou debochado, com uma mão na cintura, e outra na testa, aparentemente nervoso- Não esquece que tem uma arma nesse quarto e eu não tenho medo de usá-la.
-Sério? -Indaguei, me virando para ele e cruzando os braços. Dei uma risada irônica e não sei de onde tirei coragem para continuar- Então por que você não pega essa merda de arma e atira em mim? Não é isso que tu quer? Você não é o foda do Zayn Malik? ENTÃO ME MATA! -Gritei.
-Você realmente ta duvidando de mim? -Perguntou, incrédulo- S/n, você ficou tempo suficiente comigo para saber que eu não brinco com essas coisas. Eu não tenho medo. Se eu quiser pegar essa porra de arma e estourar teus miolos, EU VOU FAZER ISSO -Ele se alterou.
-Tá esperando o quê? -Encarei ele, bem séria. Eu não desviava o olhar e nem ele. Malik não se mexeu. Ficou apenas me encarando, paralisado.- Pois é! Foi exatamente o que eu pensei, Zayn! -Concluí, me referindo ao fato dele não ter movido um músculo sequer e voltei minha atenção para as minhas malas, terminando de arrumá-las. Meu ex-namorado se retirou do  quarto, resmungando algo que eu não fazia questão de saber, porque provavelmente eram xingamentos à mim.

Durante toda a nossa história juntos, Zayn sempre deixou claro que nunca teria coragem de me matar. Quando nós brigávamos sério, como hoje, ele me ameaçava, mas no fundo, nós dois sabíamos que ele não seria capaz de atirar em mim.
Hoje ele estava um pouco mais alterado do que de costume, e por um momento eu fiquei com medo, achando que ele teria coragem para realizar o ato de me matar, mas não.

Ao terminar de tirar tudo o que era meu daquela casa e enfiar na mala, eu liguei para um táxi. Ajeitei minha bolsa que levaria na mão, colocando tudo que seria necessário, e então, caminhei para a porta de saída daquela casa, que eu já conhecia como a palma da minha mão. Zayn não estava lá para me impedir de mais nada, e eu não sei se acho isso bom ou ruim. Apesar de tudo, eu ainda amo esse idiota.

Coloquei a mão na maçaneta e a girei. Logo, surgiu uma voz atrás de mim:

-Tchauzinho, namorada -Ele disse, completamente sarcástico, me fazendo querer dar uns belos de uns tapas na cara dele. Aliás, o humor dele melhorou de uma hora para outra? Bipolaridade? Hm, deve ser.
-Tchauzinho, EX-namorado -Sorri, debochada, e antes de sair, continuei- Nossa, to me sentindo livre... -Ironizei- Acho que hoje a noite eu vou me divertir como nunca em quase dois anos -Sorri, vitoriosa, e assim, bati a porta com força.

E, sim, é verdade! Hoje a noite vai ser ótima. Eu preciso distrair minha cabeça e ir para uma boate qualquer. Eu nunca gostei muito dessas coisas, mas eu queria ir hoje.

Quando desci, o táxi já me esperava. Me desculpei pela demora, e assim nós seguimos para um hotel que ficava no centro de Los Angeles. Minha vida é meio irônica porque eu namorava um criminoso e tinha um emprego decente, aliás, eu fiz uma faculdade decente.
O carro parou na frente do hotel, e eu paguei o motorista, agradecendo-o logo em seguida. Tratei logo de entrar e fazer o check-in. Acabei ficando no quarto 713.

[...]

Fiquei pronta e totalmente satisfeita comigo mesma. Cheguei até o hall do hotel com o elevador e deixei meu cartão na recepção. Cheguei na rua e o vento frio bateu eu meu rosto, fazendo meus cabelos voarem para trás. Abracei a mim mesma por isso e continuei andando. A boate em que eu costumava ir com Zayn ficava a duas quadras do hotel.

Pelo caminho, tive que aturar assovios e frases safadas de pessoas desocupadas. Revirei os olhos, e tomei força para aguentar isso. Nem é ao todo ruim, porque significa que eu tô apresentável.

Paguei a entrada, entrei na boate. Luzes de neon, música alta, muita gente bebendo e se pegando, bancos de couro e barman's gatos. Tudo a mesma coisa. Como já disse, nunca curti muito, mas hoje eu teria que conseguir curtir.

Não quis beber nada, então fui para a pista de dança, onde uma música agitada tocava, levantando a galera toda. Entrei no ritmo e avistei um homem que não era de se jogar fora. Alto, com um sorriso lindo e cabelo perfeito. Ele segurava uma bebida e ficava fitando o nada com os olhos claros. Ele estava paradão no meio de toda aquela gente animada. Me aproximei e "sem querer" tropecei nele.

-Ai, desculpa, tô meio desastrada hoje -Fiz minha melhor cena. Me lembrei de nunca fazer um teste para ser atriz.
-Tá tudo bem -Ele sorriu e pô... Bonito mesmo, meu Deus!- Você tá ok? Se machucou?
-Não! Eu que deveria estar te perguntando isso -Dei um tapa na minha testa.
-Tá tudo bem comigo -Ele disse e eu assenti.
-Não vai dançar? -Puxei assunto.
-Hoje eu não tô em um dos meus melhores dias para dançar -Informou.
-Ahh... -Murmurei, e assenti- Então vamos ali no bar rapidinho... Porque você sabe... Ficar em pé durante muito tempo não é nada legal. -Ri, sem graça e ele me acompanhou.
-Por mim, tudo bem -Respondeu- Devo te pagar uma bebida? -Ofereceu.
-Não, -Fiz uma careta- Eu não tô em um dos meus melhores dias para beber -Imitei sua frase de segundos atrás, e por isso, nós rimos.
-Tudo bem, eu te entendo. Mas vamos pro bar mesmo assim -Sugeriu e eu assenti rapidamente. Zayn sairia da minha cabeça facilmente.

Zayn Malik P.O.V

Entrei naquela boate acompanhada de umas três garotas gostosas e cinco parceiros meus da máfia. Fomos direto para o bar e compramos bebidas. Se era para eu esquecer s/n, eu esqueceria com as bebidas. Não é o melhor jeito, eu sei disso, mas... Vou beber mesmo assim.

Enquanto uma das garotas tentavam ser sexy para mim, eu murmurava um sem graça "desculpa, mas eu não tô afim hoje, tá?", o que é super errado porque eu deveria estar afim, SIM! Eu dei um fora na s/n, e não parava de pensar nela. Não era para isso acontecer também.

Bufei, irritado com a insistência delas, e então comecei a ignorá-las, tentando olhar para outros lugares. Passei os olhos pela galera, e lá estava ela. Com um vestido que ela NÃO deveria estar usando, conversando com um cara que ela NÃO deveria estar conversando.

O que ela pensa que está fazendo, sério? Terminamos HOJE e ela já acha que pode sair com outros homens? S/n nunca foi o tipo "piranha" e ela não ia mudar do nada agora.

Peguei minha carteira com uma certa raiva e paguei as bebidas que eu havia ingerido. Avisei aos caras que ia embora e eles estranharam, mas eu pouco me importei, eu que mando neles! Empurrei as vadias que estavam dando em cima de mim e levantei-me.

Caminhei em passos largos e rápidos até eles, e quando cheguei, eles estavam prestes a se beijar, mas eu puxei o braço de s/n, com força, fazendo ela me olhar assustada.

-TÁ MALUCO? -Gritou para mim e eu a ignorei, olhando para o cara.
-QUEM TU PENSA QUE É, SEU IDIOTA? -gritei para o cara, que me olhou confuso.
-Desculpa, cara, eu não sabia que ela era comprometida -Se justificou.
-E EU NÃO SOU -S/n gritou e eu já estava perdendo a paciência com ela de novo.
-TU NÃO SABE COM QUEM TA SE METENDO, MOLEQUE. -Me referi a aquele homem novamente. Tudo o que ele fez foi sair. Simplesmente me deu as coisas e aquilo me deixou ainda com mais raiva, estava pronto para partir para cima dele, quando...
-ZAYN! -S/n gritou- Vamos sair daqui AGORA! -Mandou e me puxou pelo braço para o lado de fora, e quando chegamos lá, ela me encarou- QUAL TEU PROBLEMA, ZAYN?
-VOCÊ QUE MAL TERMINOU UM RELACIONAMENTO E JÁ TA NUMA BOATE COM UM CARA DESCONHECIDO E EU QUE TENHO PROBLEMA? -perguntei, incrédulo.
-EU ESTOU SOLTEIRA AGORA, OK? -Ela fez questão de lembrar- NINGUÉM ME SEGURA, MEU BEM! VOCÊ NÃO ME DEU O MEU DEVIDO VALOR, ENTÃO AGORA, EU SÓ POSSO DIZER UM "ADEUS" PARA VOCÊ. JÁ ATUREI MUITA COISA QUE EU NÃO TÔ MAIS AFIM DE ATURAR, TÁ? AGORA VÊ SE ME ESQUECE E ME DEIXA EM PAZ. SERÁ QUE VOCÊ CONSEGUE? -Ela já ia entrar novamente, mas eu puxei o braço dela outra vez naquela noite.
-Não, s/n, eu não consigo te esquecer, ok? -E então eu fiz o que queria fazer. Peguei ela de um modo meio grosso, mas eu sabia que ela gostava, então não me importei. Beijei ela com toda a força que eu ainda tinha em mim, e olha que era muito.

Paramos um beijo e no segundo seguinte, ela me deu um tapa na cara.

-EU AMO VOCÊ, SEU IDIOTA! -Ela me beijou de novo e eu ri entre o beijo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário