IMAGINE. LEIA. NAVEGUE.

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Feliz aniversário para o melhor.


-PARA TUDO QUE HOJE É ANIVERSÁRIO DA MELHOR PESSOA DO MUNDOOOOOOOOOOOOOO!!!! -Minha namorada s/n entrou berrando na minha casa, me fazendo gargalhar. Ela aprendeu a ser escandalosa assim comigo, que orgulho. 

S/n pulou no meu colo, me fazendo colocar meus braços ao redor do corpo dela. Sorri com aquilo, e então, ela começou a me dar vários beijinhos. Eu não conseguia parar de rir, estava adorando aquilo. E então ela parou e saiu de cima de mim.

-Hey, por que parou com os beijos? -Perguntei, fazendo um biquinho, e então ela abriu aquele sorriso maravilhoso dela, me fazendo dar um selinho naquela boquinha linda e beijável que ela possuía.
-Quero mostrar o que eu comprei pra você de aniversário -Ela disse, pegando em minha mão e me puxando para o jardim da minha casa. 

Segui-a e encarei o presente, sorrindo pra caraca. Ela sabia o quanto eu queria aquilo... Uma moto. Não uma moto qualquer, uma Harley Davidson.

-Eu percebi que você não estava tendo tempo para comprar, então eu mesmo fiz isso para você -Sorriu, docemente, e então eu fui até ela, e agarrei-a, beijando-a.
-Você é a melhor namorada do mundo, sabia? -Sussurrei contra seus lábios e ela fez carinho na minha nuca- Obrigada, eu adorei, de verdade.
-Então o que está esperando? Vá dar uma volta nela! -Sorri, e dei mais um selinho nela, que esticou as mãos, fazendo a chave da moto parar na minha frente- Mas vai ter que me levar junto -Completou e eu sorri ainda mais.
-É pra já, madame! -Quis parecer formal e ela riu por isso.

Subi na moto, e ela subiu logo atrás de mim, enrolando seus braços em minha cintura. Gostei daquela sensação... Colocamos o capacete, e então eu liguei a moto. O motor fez um barulho que eu achei imensamente maneiro, e então, eu dei partida. Dei umas três voltas pelo meu quintal, só para testar mesmo aquela belezura, e s/n reclamou por não aguentar mais andar em círculos. Ri com o comentário dela e obedeci-a, passando pelo portão da minha casa.

-Quer almoçar? -Perguntei à ela quando paramos em um sinal vermelho.
-Pode ser, estou com fome... -Respondeu, e então, quando sinal ficou verde, guiei a moto até um restaurante que tinha ali perto. Ao chegar, estacionei a moto e me certifiquei de que estava tudo certo. S/n riu da minha preocupação e eu dei língua para ela.

-Daí ela pediu desculpas e eu fiquei com pena...-Disse para s/n sobre minha mãe ter me ligado para me desejar um feliz aniversário às duas da manhã.
-Tadinha, Amor. -Ela disse, rindo de minha atitude- Ela deveria te dar uns tapas, isso sim.
-E você não acha que ela vai fazer isso quando vir me visitar? -Rimos, e então ele pediu a conta para um garçom que passava.
-Deixa eu pagar hoje? -Ela pediu, e eu ri- Tô falando sério, amor! Você nunca me deixa pagar e eu não gosto disso. Hoje é seu aniversário, deixa eu fazer isso? -Fez um biquinho fofo- Por favor, por favor, por favor... -Implorou e eu revirei os olhos.
-Claro que não, s/n! Não vou fazer isso com você.
-Mas eu quero pagar, tô insistindo! -Pediu mais uma vez. Teimosa demais!!
-Sem chances -Dei fim aquela conversa e ela ficou de bico, emburrada- E não fica assim, se não vou ter que beijar muito esse teu bico aí -Fiz graça e ela estava quase sorrindo.
-Para -Pediu, desviando o olhar. Ela queria rir.
-Ai, meu Deus, ela quer soltar uma risada... Pode rir, amor, eu deixo -Ela me encarou com um resquício de sorriso nos lábios, que foi se abrindo aos poucos e então, abriu-se totalmente- Aêêêê!!!! -Comemorei e então, ela deu um tapa no meu braço, gargalhando.

O garçom chegou com o papel da nossa conta nas mãos, e antes que eu pegasse das mãos dele, s/n fez isso. Olhei para ela repreendendo o ato e ela me ignorou, olhando o valor total. Começou a vasculhar algo dentro da bolsa dela, e então retirou sua carteira.

-Você não vai pagar nada, s/n, deixa de ser teimosa -Falei.
-Vou pagar, sim, senhor! -Rebateu, se levantando e eu fiz o mesmo, pegando-a pelo braço e fazendo-a me encarar.
-Me dá essa notinha agora, s/n. Não vamos para o caixa enquanto você não me entregar isso -Avisei e ela se soltou de mim.
-Relaxa, Lou, está tudo certo, ok? -Disse, calma, indo outra vez até o caixa.

Bufei, irritado, e a segui também. A fila para pagar estava um pouquinho grande, então tivemos que esperar. Eu tentava a todo momento pegar aquela maldita notinha, e s/n sempre me enrolava com beijos (e o pior é que funcionava).

Quando chegamos no caixa, a moça pediu a notinha e minha namorada entregou. Na hora de dar o dinheiro, entreguei uma nota de 100 reais antes que s/n pudesse pagar.

-Poxa, amor, guarda esse dinheiro! -S/n reclamou, mas dessa vez, eu que ignorei. Então, ela puxou a nota de cem da mão da mulher (que nos olhou confusa) e me entregou de volta- Aqui, querida, pode pagar a conta com esse dinheiro aqui -Disse, entregando o dinheiro dela para a atendente, que pegou o dinheiro da mão dela, e já ia começar a efetuar o sistema do pagamento no computador, mas eu interrompi.
-Desculpa, moça, mas nós vamos pagar a conta com esse dinheiro aqui -Insisti, dando a nota de cem mais uma vez e a mulher ficou olhando para nós dois.
-Louis! -Minha namorada me repreendeu.
-Eu disse que eu vou pagar -Lembrei.
-Deixa eu fazer isso pelo menos uma vez na vida -pediu brava e eu neguei com a cabeça.
-Nada disso, s/n -Falei e ela bufou.
-Te espero lá fora -Respondeu, com raiva e saiu do restaurante. Ri sozinho, ela ficava tão linda daquele jeito. Terminei de pagar e então saí.

S/n estava do lado da minha mais nova moto, falando no celular. Me aproximei, dela.

-Uhum, sim. Ok, tudo bem. Acho que podemos ir, sim -Ela me olhou- Chegamos em dez minutos, ok? Esperem por nós... Beleza, beijos, tchau -E então, finalizou a ligação.
-Quem era e para onde vamos? -Fui direto.
-Era o Liam, convidando a gente para ir até a casa dele. Falei que vamos e chegaríamos em dez minutos, então corre!
-É meu aniversário! O que eu vou fazer na casa de Liam Payne, s/n? -Perguntei, não gostando muito da ideia de ir até lá por ser um pouco longe de onde estávamos.
-E o que você vai fazer de especial hoje? -Indagou, me pegando de surpresa. Eu não tinha planejado nada, então não respondi- Foi o que eu pensei, Tomlinson... Vamos!

[...]

-O que é isso, seus putos? -Perguntei, levando um susto com a festa surpresa que aqueles garotos filhos da mãe que eu chamo de irmãos fizeram. Todos riram da minha reação e s/n me deu um tapa na cabeça pelo palavrão que eu havia soltado sem querer.
-Feliz aniversário, mate -Liam chegou, me dando um abraço.
-Valeu, dude -Agradeci, abraçando os outros garotos também.

A minha festa na casa do Liam estava rolando e estava sendo bem divertido, devo admitir. Se não fosse isso, eu estaria em casa agora vendo algum filme velho e chato de faroeste. Tinha bastante comida, música alta do meu agrado e uns amigos chegados que eu não via há algum tempo. Todos que eu amava, ali, por minha causa.

Mostrei para os garotos o presente que s/n tinha me dado e todos ficaram babando pela moto. Ficaram falando coisas do tipo "Eu deveria ter sido mais rápido que o Louis e pegado a s/n primeiro... Eu provavelmente estaria com uma Harley Davidson agora". Obviamente eles levaram muitos tapas meus por terem dito isso e isso gerou boas gargalhadas.

A festinha acabou por volta das oito da noite, e no momento, os meninos e s/n (os que sobraram do povo todo) estavam arrumando a baguncinha que a galera fez, enquanto eu estava simplesmente sentado numa cadeira de praia, observando eles.

-Vai ficar só olhando, é? -Niall perguntou, catando copos plásticos do chão.
-Claro -Respondi, como se fosse óbvio- É meu aniversário, eu não preciso fazer nada.
-Muito espertinho você, Tomlinson... -Zayn disse, revirando os olhos e eu ri.
-Que tipo de pessoa bebe essa coisa aqui? -Harry cheirou uma bebida e nós rimos.
-Teve gente bebendo coisas que eu nunca beberia em toda a minha vida. Jamais -Minha linda namorada, que agora ajudava Niall, disse.

[...]

-Dorme lá em casa? -pedi para s/n, que fazia carinho em meu rosto.
-Não sei, posso pensar -Fingiu fazer pouco caso da minha proposta.
-Ah, qual é, por favor, amor... -Insisti, agarrando-a ainda mais- Presente de aniversário...
-Ainda to chateada com você por não ter me deixado pagar a conta -Fez uma cara emburrada e eu não pude evitar e dei um selinho nela.
-Eu nunca te deixaria fazer isso, linda.
-Por quê, poxa? Eu só queria pagar a bosta conta -Se defendeu.
-Isso é coisa de homem, amor -Expliquei.
-Desde quando você é machista assim? -Perguntou e eu ri.
-Não é machismo, s/n...
-É sim.
-Não é.
-É sim.
-Não é.
-É sim.
-Que porra! -Murmurei e recebi um tapão- Ai desculpa, foi meu último palavrão da noite, juro. 

E então nós ficamos rindo durante um tempo.

-Ok, eu vou dormir com você hoje -Respondeu e eu a enchi de beijos.
-Obrigada por hoje. Se não fosse você aqui, não ficaria tão especial... -Ela sorriu, me beijando em seguida.
-Feliz aniversário, amor da minha vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário