IMAGINE. LEIA. NAVEGUE.

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

"Ele deu em cima de você?"


Corrigi a última prova de literatura dos meus alunos na sala dos professores. Minhas mãos já estavam doendo e eu nem sei como conseguiria escrever no quadro para dar minha próxima aula, que seria daqui a cinco minutinhos.
Respirei fundo e guardei as provas junto com o resto do meu material. Caminhei para fora da sala dos professores e percebi que meu celular estava vibrando. Sorri quando vi o nome do meu marido Niall brilhar na tela.

-Oi, amor -Disse, assim que atendi.
-Oi, baby! Liguei para saber como você está -Perguntou.
-Estou bem, e você? 
-Ótimo. E com saudades -Acrescentou.
-Mas já? -Sorri.
-Claro! Você saiu cedo demais, eu não ganhei nem um beijinho. -Eu ri.
-Quando eu chegar em casa, te dou vários beijinhos, Niall Horan.
-Vou esperar, dona (s/n)!
-Pode esperar! -Ri- Tenho que dar aula agora, amor.
-Também vou ter que gravar uma música pro novo álbum. Ah, os meninos estão mandando um beijo para você!
-Manda outro pra eles! Agora eu preciso ir, anjo. Te vejo mais tarde.
-Ok, te amo.
-Amo mais! -Respondi e desliguei, antes que ele falasse que era mentira.

Andei o pouco espaço que faltava de onde estava até a sala de aula, e quando adentrei, os alunos já me esperavam. Agitados, como sempre.

-Bom dia, lindinhos -Entrei na sala de aula sorridente. E eu os chamava assim mesmo. É engraçado.
-Tá feliz, prof? -Edu disse e eu dei língua para ele, fazendo a turma rir. Essa turma me adora e eu retribuía todo esse amor. Eles são demais!
-Espero que estejam com essa energia toda para fazer a tonelada de exercícios que eu vou passar e... -Fiz um suspense- para receber a prova. 

A turma toda se lamentou por isso, me fazendo rir.

-Relaxa, pessoal. As notas foram boas, ok? Só uma ou outra que foram baixas, mas nada tão grave. Fiquem calmos... Agora, vamos começar essa aula? -Disse, animada, enquanto eles mostravam estar com tédio. Mas quem disse que literatura é legal, né?

[...] Hora da saída

Estava indo em direção à sala dos professores depois da minha aula, quando de repente, alguém toma o meu ombro. Me virei e vi um homem com uma barba bem feita, olhos claros e um rosto de homem. Bem bonito, admito.

-Hm, prazer, meu nome é Michael James -Ele esticou a mão e eu apertei-a- Sou pai do Jeff e como é de se esperar, fiquei um pouco triste com a nota dele em literatura, sua matéria.
-Ah, eu entendo, também ficaria -Fui compreensiva- O Jeff é um doce de menino e é inteligente, só precisa estudar um pouco mais.
-Entendi. É... Você pode me passar seu número? -Ele estava sorrindo e eu franzi a testa, sem entender nada.
-Desculpa. Como? -Pedi para repetir.
-Seu número -Ele teve a cara de pau de falar mais uma vez- Pode me passar?
-Desculpa, senhor James, não sei quais são suas intenções -Firmei meu olhar.
-Só quero conhecer um pouco melhor a professora de literatura do meu filho...
-Seu filho tem 16 anos, não precisa disso -Fui direta.
-Ai, ok, vou falar a verdade -Ele colocou as mãos no bolso- Não é por ele que quero te conhecer, devo admitir.
-Não sei a que ponto você quer chegar -O olhei, incrédula com a situação.
-Eu quero sair com você. Janta comigo? -Ele pediu, sorrindo.
-Eu sou muito bem casada, Senhor Michael James! -Disse e virei as coisas depois de ver a cara dele de frustrado. Eu estava rindo demais por dentro.

[...] Em casa

Quando cheguei, procurei por meu marido e o encontrei em nosso quarto:

-Já chegou, amor? -Ele sorriu, ainda deitado na cama.
-Acho que sim, né -Disse irônica e ele fez uma careta, me fazendo rir.
-Tô morrendo de fome. Ta afim de jantar fora hoje? -Perguntou.
-Claro -Respondi sorrindo- Vou me trocar. Você me espera?
-Sim, amor. To na sala te esperando. Vê se não demora, hein -Ele levantou, e quando passou por mim, me deu um selinho.

[...] No restaurante

Enquanto assistia o garçom ir se afastando aos poucos, depois de anotar nossos pedidos, resolvi contar logo para ele o que aconteceu.

-Você não sabe o que aconteceu hoje -Ele me olhou- Um pai de aluno ficou dando em cima de mim. Dá pra acreditar?
-Como assim, (s/n)? -Ele fez uma expressão séria- Ele deu em cima de você?
-É, mas eu fui dura com ele, lógico.
-Mesmo assim, (s/n), eu não gostei nem um pouco de saber disso. Eu sempre te digo pra ter cuidado lá, não ir muito arrumada...
-Eu não vou me vestir mal porque tem pais safados dando em cima de professoras.
-Eu não to pedindo pra você se vestir mal -Ele gesticulou com as mãos- Eu só to falando pra você não se vestir tão bem quando vai trabalhar, passar maquiagem e essas outras merdas todas. -Ele estava nervoso.
-Ai, amor, esquece, eu dei um fora nele. Ele nunca mais vai chegar em mim.
-(s/n), isso não é o suficiente! E quem te garante isso? Que ele nunca mais vai chegar em você?
-Eu, ué! -Dei de ombros- E se ele chegar, eu saio de perto.
-Nossa, isso me acalma muito -Ele ironizou- Amanhã eu vou te levar e te buscar na escola;
-Niall, isso não é necessário, pelo amor de Deus! Ele já entendeu o recado.
-Você ao menos disse que era casada? 
-Óbvio, né! E ele fez uma cara de frustração danada.
-Ele é um idiota, isso sim!
-Ele nem sabia que eu era casada, meu amor. Já passou, esquece, tá?
-Difícil, hein -Ele bufou, tenso.
-Acho que eu não deveria nem ter te contado isso -Reclamei.
-(S/N), não é fácil saber que enquanto eu estou trabalhando, um cara ridículo fica dando em cima de você, no horário de trabalho! Claro que eu tô com raiva.
-Coloca na sua cabeça que eu dei um corte rápido nele, por favor? -Pedi.
-Isso não muda o fato dele ter dado em cima de você!
-Mas já passou, Niall! -Tentei fazer ele esquecer. Em vão.
-Você gostaria de saber que uma mulher deu em cima de mim lá no estúdio?
-Claro que não, nem fala isso. Você é muito bem casado, Niall Horan!
-E você também, dona (s/n)!
-Eu sei disso, meu amor -Sorri, passando a ponta de meus dedos pelo rosto dele- E o cara também.
-Ok, mas mesmo assim vou te levar na escola amanhã. -Revirei os olhos.
-Teimoso! -Disse.
-Você que é marrenta -Ele respondeu.

[...] No dia seguinte

-Você sabe que não precisa fazer isso, né? -Disse, minha última tentativa.
-Preciso sim -Ele disse firme- Vamos conhecer esse cara ridículo.
-Sem cena, Niall! -Pedi.
-Cena? Isso não combina comigo, meu amor -Ele segurou meu rosto com suas duas mãos e me deu um selinho.

Chegando na escola, eu tive azar. O tal Michael James, que deu em cima de mim, estava com Jeff, meu aluno, entrando na escola. Vimos tudo isso de dentro do carro,

-Foi aquele cara ali -Apontei.
-Nossa, que homem brega! -Disse.
-Nem acho -Comentei e só depois percebi a merda que eu tinha feito. Niall estava me fuzilando com seus terríveis olhos azuis- Mentira, amor, acho brega sim -Aliviei.

Niall desligou o carro e saiu de dentro dele, me deixando nervosa. Ele ia fazer alguma besteira. Saí do carro também, totalmente preocupada e fui atrás dele. Gritei-o e ele porém continuou olhando para o senhor James, que nos olhos. Opa, agora eles estavam se encarando. Mas parece que Niall aproveitou o olhar de James sobre nós e me deu um super puxão pela cintura. me beijando ferozmente. Ficamos assim por pelo menos um minuto e quando nos separamos, nossa respiração estava descompassada.

-Isso é para ele se ligar que você tem dono -Me deu um selinho, ainda segurando minha cintura- Ele ainda tá olhando? -Perguntou.
-Uhum -Assenti, depois que olhei por cima do ombro dele- Você é maluco, Niall Horan.
-Por você, meu amor. -Me deu mais um selinho- Venho te buscar depois.
-Ta, vou te esperar! -Disse, olhando em seus olhos e tirando as mãos dele da minha cintura- Agora vai, tchau!
-Tchau -Ele deu mais uma olhada para o cara, me fazendo rir. E em seguida, entrou no carro.

Entrei na escola e passei pelo senhor James, cumprimentando-o com um aceno de cabeça, vendo ele responder da mesma forma, completamente sem graça. Confesso que me deu vontade de rir, mas eu segurei, por educação. Meu marido é muito, muito doido. E eu adoro!

-Bom dia, prof! -Meus alunos disseram, assim que entrei na sala de aula.
-Bom dia! -Cumprimentei-os- Vamos estudar? -Perguntei, pegando as canetas de quadro.
-Ahhh... Eles reclamaram. 

[...]

"To aqui na porta da escola esperando você."

Niall mandou essa mensagem e eu liberei a turma cinco minutos antes, ouvindo eles falarem que eu era a melhor professora do mundo por isso. Recolhi meu material e coloquei minha bolsa sobre os ombros. Desci, falando com alguns alunos pelo caminho e fui para o portão da saída, encontrando meu marido com os braços cruzados, de óculos escuros e encostada no carro, mexendo no celular dele, na maior pose. Eu só consegui rir da cena.
Fui andando até ele, mas quando eu estava atravessando a rua, alguém me puxou pela mão. Me virei para ver quem era e arregalei os olhos. Era o Michael James. Se Niall o visse, ia ocorrer algo que ninguém queria. Tentei ser breve, evitando maiores problemas:

-Oi, eu tenho que ir, depois conversamos. Tchau -Soltei minha mão da dele.
-Espera! -Ele pediu- Eu só quero falar que eu já entendi que você é casada e seu marido é ciumento -Ele riu e eu acabei fazendo o mesmo.
-Só um pouquinho -Brinquei, olhando Niall, que nos encarava- Agora eu preciso ir, ok? Tchau.

Corri até Niall, que estava com uma cara de poucos amigos. Ele ficava ainda mais lindo com ciúmes.

-Acho que pra ele entender que você é minha, vou ter que transar com você aqui na rua, né? O beijo não bastou? -Ele disse nervoso.
-Até que bastou. Ele acabou de me dizer que já entendeu que eu sou casada e que você é ciumento.
-Ah, ele entendeu, é? -Disse, irônico- Que bom, porque se não eu ia acabar com a raça dele.
-Ai, amor, para! Já passou, esquece. -Pedi.
-Vou esquecer, ele disse, indo em direção ao carro.
-Hey! -O gritei- Eu não ganho nem um beijinho, né? -Fiz uma carinha de tristeza.

Ele me puxou pela cintura e colou sua boca no meu ouvido, me fazendo arrepiar:

-Você vai ganhar muito mais que isso quando chegarmos em casa -Ele sorriu maliciosamente e eu gargalhei.
-Não vejo a hora -Concluí, e então nós entramos correndo no carro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário