IMAGINE. LEIA. NAVEGUE.

domingo, 27 de julho de 2014

Vontade de você



Caminhei pelo corredor e finalmente enfiei a chave no molde da porta. A girei, destravando a fechadura e empurrei a porta, encontrando um ambiente totalmente silencioso e um pouco escuro. Coloquei minha bolsa em cima do sofá e tirei meu salto. Massageei meus próprios ombros e fiz uma careta ao sentir uma leve dor no local. Eu estava bem cansada. O dia no trabalho não havia sido nada fácil. Eu só pensava na minha cama quentinha me esperando. Ainda mais que Jessy, minha filha de 13 anos, foi fazer um trabalho escolar na casa de uma amiga e só chegará mais tarde, fazendo a casa continuar em silêncio, desse jeito que eu tanto gosto...
Andei até o meu quarto e quando fui abrir a porta, uma mão tocou minha cintura, me fazendo levar um susto. Encarei meu marido, que se encontrava com um sorriso divertido nos lábios por conta da minha reação.

-Que susto, amor! -Disse, com a mão no peito.

-Desculpa -Ele riu- Não foi minha intenção.
-Pensei que ainda estava no trabalho -Entrei no nosso quarto- Estava tudo tão calmo e escuro aqui...
-Eu estava no banho, nem ouvi você chegando -Ele explicou- E eu saí mais cedo da reunião porque estava com uma dor de cabeça terrível -Acrescentou.
-É, amor? -Perguntei preocupada.
-Uhum... E só minha mulher poderia resolver isso para mim -Ele abriu um sorriso pervertido que me fez arrepiar- Então decidi vir para casa e ficar sob seus cuidados -Ele me agarrou pela cintura. Meu Deus, quanta pegada esse meu marido tem!
-Hm, é mesmo? -Um sorriso estava começando a transparecer em meu rosto, e ele adorou isso porque abriu outro sorriso maior ainda. 
-Sim, exatamente isso -Fomos cambaleando para trás, até minhas costas se chocarem contra a parede do nosso quarto- Tô com saudade.
-Eu sei, amor, é que o trabalho, os compromissos. A nossa vida está muito agitada e... -Eu tentei explicar, mas ele me interrompeu.
-Eu sei, meu anjo, mas vamos deixar nossa vida sexual mais ativa porque as vezes é difícil conter meus desejos sexuais masculinos quando vejo você com essa calça jeans apertada.
-Ah, é mesmo? -Soltei uma risada- Seu safado.
-Ah, eu sou homem, po! -Ele começou a beijar meu pescoço, mas não durou muito tempo porque minha boca logo encontrou a dele.

Começamos um beijo molhado, cheio de amassos e já estávamos caminhando totalmente colados e entre beijos até a nossa cama. Me deitei, e ele ficou em cima de mim. Quando íamos continuar os beijos quentes de antes, ouvimos uma voz muito conhecida.


-Mãe? Pai? -Era Jessy. Eu e Niall nos encaramos frustrados, mas depois eu fiz um sinal com a cabeça para que ele saísse de cima de mim. Ele se jogou, bufando, do outro lado da cama e eu me levantei. Ajeitei minha roupa e fui para a sala.

-Oi, filha -Sorri para ela- Conseguiu terminar o trabalho? -Me apoiei no balcão da cozinha.
-Aham -Ela assentiu e se jogou no sofá, pegando o controle da TV.
-Vai trocar o uniforme, Jessy! -Ordenei- E coloca essa mochila no seu quarto.
-Ahhh, mãe... -Ela fez uma cara preguiçosa- Depois faço isso... Oi, pai -Ela disse, direcionando seu olhar para outro lugar, me fazendo agir da mesma forma e encontrar Niall.
-Oi, filha, tudo bem? -Ele perguntou, indo em direção à ela. Passou por mim e seu perfume masculino entrou no meu nariz de uma forma... Sexy. O safado não podia deixar de fazer algo, né? Passou a mão pelas minhas coxas discretamente e eu me arrepiei. Depositou um beijo no topo da cabeça de Jessy, que sorriu.
-To bem sim -Ela respondeu e Niall se sentou no outro sofá, me mandando olhares pervertidos que me faziam querer soltar uma risada e ir agarrá-lo na mesa hora.
-Como foi seu dia, baby? -Ele fez outra pergunta para ela, mas sem tirar os olhos de mim. Eu só mordia os lábios ao lembrar dos minutos de antes.
-Normal. Estudar está ficando cada vez pior -Nós três rimos.
-Só quero notão, dona Jessy! -Niall disse. E os olhos dele continuavam em mim. Mas sabe aquela olhada safada que parece que ele está te comendo só com os olhos? E ainda misturada num olhar galã? Exatamente desse jeito.
-Com essas última matérias, não prometo não, hein... -Jessy afirmou.
-Como assim, Jessy? Você vai estudar e vai tirar uma nota boa, oras! -Disse.
-Ok, mãe, prometo tentar, mas... -Ela fez uma careta- Vai ser difícil.
-Hm -Disse, em um tom de desaprovação e voltei a olhar Niall, que continuava me encarando dos pés à cabeça. O reprovei com o olhar da forma mais discreta possível para que Jessy não percebesse (mas ela estava ocupada demais prestando atenção na TV) e ele fez uma careta, como se não tivesse culpa do que estava fazendo, como se não pudesse evitar.
-Aaaaaah, mãe! -Jessy gritou- Me lembrei de algo! Um grupo de amigos da minha escola me chamou para ir ao parque hoje... Posso?
-PODE! -Niall a respondeu rápido e um pouco alto, fazendo nós duas o encararmos. Só que ela não sabia o por quê daquilo e o encarou confusa, mas eu sabia. Muito bem, por sinal.
-Não é sempre você que implica quando saio com meus amigos? -Ela perguntou confusa e eu quase soltei uma risada pela pergunta completamente verdadeira dela. Niall não gostava quando ela saia com os amigos da escola porque morria de ciúmes dos garotos que tinham lá, por isso, ela sempre pedia essas coisas para mim.
-Ah, eu... Hm, eu... Eu só acho que hoje é sexta, né. Você tem que curtir mesmo -Ele deu de ombros, mas eu tenho que admitir: Meu marido é um péssimo ator. Jessy me olhou, procurando por uma explicação e eu também dei de ombros.
-Vocês estão bem? -Jessy arqueou uma sobrancelha.
-Eu estou ótima! -Respondi, me desencostando do balcão.
-Eu também! -Niall disse
-Ok, então... -Ela disse meio desconfiada. Se levantou, pegou suas mochilas e o tênis que havia tirado antes e foi para o quarto. Assim que ela entrou de vez no quarto, eu disse ironicamente:
-Já disse que você é um ótimo ator?
-Não.
-E nunca vou dizer! -Ele riu.
-É impossível evitar, poxa.
-Evitar o que? Ser um péssimo ator? Eu entendo.
-Não. Evitar a vontade enorme que eu tô de você! -Ele mordeu os lábios e me olhou de cima a baixo outra vez, como se as olhadas de antes não tivesses adiantado nada. Ah, Niall Horan... Espera só de noite...
-Falta poucas horas -Dei um sorrisinho e dei alguns passos até o quarto. Logo senti ele agarrando minha cintura por atrás.

[...]


-Mãe, pai, tô indo! -Jessy gritou.

-Ok, filha, vai com Deus, JUÍZO, hein -Gritei de volta.
-Como você pode mandar sua filha tomar juízo se você não vai tomar nenhum juízo essa noite? -Niall se aproximou apenas de cueca e eu gargalhei.
-Quem disse, Horan? -Sussurrei no ouvido dele quando ele estava bem pertinho de mim. 
-Eu to dizendo, amorzinho... -Ele mordeu o lóbulo da minha orelha, fazendo todo o meu corpo se arrepiar.

Não demorou para cairmos na cama apenas de roupas íntimas. Estávamos nos beijando incansavelmente e então ele tirou meu sutiã, massageando meus seios e me fazendo gemer. Em seguida, foi a minha vez de tirar a cueca dele. Fiz um oral e ele se contorceu de prazer. O próximo passo foi tirar minha calcinha sentir MUITO prazer.

Semanas depois...

-Niall -Chamei a atenção dele.
-Oi, meu amor.
-Eu estou grávida -Disse, simplesmente. Já tínhamos passado por isso antes.
-Que? -Ele disse, incrédulo.
-Pois é. Tô grávida -Mordi os lábios, esperando uma resposta.
-Espero que seja um menino... -Ele abriu um sorriso gigante e levantou da cadeira, vindo em minha direção. Me deu um abraço super apertado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário